SONY DSC

Droga foi incinerada no forno de uma empresa siderúrgica na região metropolitana de Salvador | Foto: Divulgação/SSP

Mais de dez toneladas de drogas, avaliadas em R$ 10 milhões, que estavam armazenadas na Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), em Salvador, foram incineradas nesta terça-feira (11) no forno de uma empresa siderúrgica na região metropolitana. O titular da DTE, delegado Maurício Moradillo, e representantes do Ministério Público (MP), Vigilância Sanitária e Departamento de Polícia Técnica (DPT) acompanharam a destruição das drogas – feita mediante autorização da Justiça.

Um esquema especial de segurança foi montado pela Polícia Civil para transportar 9,5 toneladas de maconha, meia tonelada de cocaína e crack, além de outras drogas como LSD, ecstasy, lança-perfume e produtos químicos para refino. Policiais da Coordenadoria de Operações Especiais (COE), da Polícia Civil, e uma aeronave do Graer, da Polícia Militar, apoiaram a operação. 

O planejamento estratégico, realizado pelo delegado Maurício Moradillo, durou seis meses, período em que foram catalogados todos os inquéritos policiais instaurados na DTE, nos últimos anos, e solicitadas autorizações judiciais de incineração. Segundo o diretor do Departamento de Narcórticos (Denarc), delegado André Viana, a partir de agora, a DTE passa a adotar um protocolo semestral para incinerações de drogas apreendidas, evitando o armazenamento, por longo período, na unidade policial. 

Redação Notícias de Santaluz