Da EFE
operacao-resgate-on-line-da-pf-size-598

Memória de computadores apreendida pela PF em operação contra pornografia infantil | PF / Divulgação / CP /VEJA.com

A Polícia Federal (PF) desarticulou na madrugada desta quarta-feira (29) uma rede de compartilhamento de arquivos de pornografia infantil na internet que utilizava um aplicativo para a troca de imagens e informações. Os dados estavam criptografados e, segundo a PF, os membros da rede tinham “liberdade total” para distribuir os arquivos, pois o administrador do aplicativo não podia bloquear os conteúdos e nem denunciá-los às autoridades, como determina a lei. A PF conseguiu rastrear os membros da rede com a prisão de um dos integrantes na “Operação Infância Segura I”, primeira parte da investigação atual, efetuada em junho. Para a segunda fase da operação foram ordenados 40 mandados de busca e apreensão em 35 cidades brasileiras de 14 estados diferentes e no Distrito Federal. A “Operação Infância Segura II” foi conduzida pela Delegacia de Polícia Federal de Uberlândia (MG), com o apoio da Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil (URCOP).