Bernardo Coutinho

Luciano e a merendeira Edna tiveram um bate-papo descontraído sobre a cidade. (Fotos: Bernardo Coutinho)

O que você diria ao prefeito da sua cidade se o encontrasse ao volante de um táxi? Luciano Rezende, de Vitória, e Juninho, de Cariacica, ambos do PPS, do Espírito Santo aceitaram o convite de A GAZETA e trocaram o gabinete por algumas horas como taxistas.

No banco traseiro, pessoas surpreendidas pelo motorista inusitado aproveitaram para elogiar e fazer críticas à gestão municipal.

Dentro do carro, câmeras filmaram a reação e o diálogo entre prefeitos e passageiros. Nem todo mundo reconheceu os chefes do Executivo logo no primeiro momento.

Teve gente que até brigou com o taxista, porque ele chegou antes do horário combinado. Outra passageira deu um aviso sobre a segurança: “Quando chegar lá no morro você abre os vidros, tá?”.

 Bernardo Coutinho

Durante a corrida, Juninho quis saber o que o porteiro Francisco achava do município.

Após o “susto”, a conversa fluiu. Reclamações sobre violência, trânsito, ruas esburacadas e iluminação pública pautaram as conversas. Também não faltaram bom humor e muitas risadas.

Cada prefeito fez duas corridas, com passageiros diferentes, escolhidos aleatoriamente. As repórteres acompanharam tudo de outro veículo, sem interferir na conversa. Após reconhecerem o prefeito – ou serem alertados sobre quem era o motorista – os passageiros foram avisados que se tratava de uma reportagem. A partir daí, seguiram seus destinos como o planejado, com o detalhe de ter o táxi guiado pelo prefeito.

Luciano partiu da Praia do Canto e foi aos bairros São Benedito e Consolação, em Vitória. A gravação foi realizada pela manhã, no dia 23 de setembro. No dia seguinte, também de manhã, Juninho levou passageiros de Alto Lage a Campo Grande, em Cariacica, e de Itaquari ao Parque Moscoso, na Capital. (A Gazeta)