Por GloboEsporte.com
14850226614_40b5d73bc5_o

Marcelo Sant’Ana adiantou que Railan não defenderá mais o Bahia | Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia

Tecnicamente, Railan ainda é jogador do Bahia. No entanto, o lateral-direito não deverá mais vestir as cores do Tricolor baiano. No início da noite desta quarta-feira, o presidente Marcelo Sant’Ana concedeu entrevista ao Programa do Esquadrão, programa de rádio oficial do clube, e definiu que o atleta não está nos planos do clube para a pré-temporada. Railan tem contrato até maio e assinou pré-contrato com o Internacional de Lages, equipe de Santa Catarina. Sant’Ana se disse decepcionado com a postura de Railan e também de Vitor, outro que assinou com o Internacional de Lages. O lateral-esquerdo tinha negociações avançadas com o Bahia, mas, conforme o gerente de futebol Éder Ferrari, sumiu na hora de assinar o contrato e deixou de atender as ligações. O presidente tricolor reconhece que os atletas agiram dentro da lei, mas questiona a ética da dupla no processo que resultou no fim do ciclo no Fazendão.

– Fiquei decepcionado. Nada me surpreende mais no futebol. Em um ano de gestão, digo que acredito em qualquer coisa. Qualquer tema dentro do futebol brasileiro. Para bem ou para mal. Fiquei decepcionado. Eles fizeram tudo dentro do que a lei permite. Legalmente não fizeram nada que questionemos. Mas não é porque é legal que é correto. No caso do Vitor, a palavra é dura, mas acho que foi uma postura desonesta. Foi dentro da legalidade? Foi. Mas não é correto, ético. (…) Com esses jogadores não conto mais. Mesmo com Railan tendo contrato. O Bahia entende que não tem muito o que fazer com ele entre janeiro e maio. Vamos decidir o que será feito para ele ser feliz em outra instituição – disse Sant’Ana em entrevista ao Programa do Esquadrão. 

O cartola tricolor ainda avisou que acompanhará o desenrolar da carreira dos dois jovens laterais. Caso o Internacional de Lages se revele um clube de aluguel, que serve apenas para registrar jogadores e depois repassá-los para outras agremiações, o Bahia entrará com uma representação junto à CBF. – Só espero que o Inter de Lages não seja clube ponte, isso é proibido. Se acontecer, vamos denunciar na CBF – advertiu. Recentemente, Railan divulgou uma carta em que agradecia o Bahia e afirmava que deixava o clube por não ter sido valorizado. Procurada pelo GloboEsporte.com, a diretoria tricolor revelou, por meio da assessoria de imprensa, que ofereceu um contrato com reajuste de 30%.