Share Button

Enfermeira foi a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 na Bahia | Foto: Itana Alencar/G1 Bahia

A enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, de 53 anos, primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 na Bahia, contraiu a doença antes de tomar a segunda dose do imunizante. Nesta terça-feira (23), ela está internada no Instituto Couto Maia, em Salvador, e tem quadro clínico considerado estável. “O que aconteceu com Angélica é que ela pegou a doença após a primeira dose. Ela ia tomar a segunda dose no dia 16 e, entre 12 e 13, começou a sentir um mal estar. Ela está bem, está usando pouco oxigênio, mas quando se movimenta fica um pouquinho desconfortável, por isso ela está sendo mantida ainda no hospital”, explicou ao G1 a médica infectologista Ceuci Nunes, que é diretora geral do Couto Maia, unidade referência em tratamento de doenças infectocontagiosas no Brasil. O imunizante tomado por Maria Angélica foi CoronaVac, desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac e que é fabricado no Brasil pelo Instituto Butantan. Essa vacina tem eficácia geral de 50,38%, o que significa que o risco de pegar Covid-19 foi reduzido em 50%. Segundo a publicação, a médica explicou ainda que, para a vacinação atingir a eficácia máxima, é preciso que a pessoa tome as duas doses e respeite a ‘janela imunológica’, que é o período que o organismo leva para produzir os anticorpos do imunizante. “A garantia mesmo da proteção maior é após 20 dias da segunda dose. Então é importantíssimo que todas as pessoas tomem as duas doses (…) É importante que, mesmo as pessoas vacinadas, mantenham as medidas de proteção, de distanciamento e uso de máscara, até que a gente tenha 60 a 70% da população vacinada”.