xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.guggyFG3Qh

Foto: Reprodução/El Clarín

O promotor argentino Alberto Nisman foi encontrado morto na madrugada desta segunda-feira (19) em Buenos Aires, capital da Argentina. O profissional denunciou a presidente Cristina Kirchner por suposto encobrimento do Irã em um atentado contra um centro de convivência de judeus em que 85 pessoas morreram. De acordo com informações preliminares do jornal El Clarín, seu corpo estava no banheiro com um disparo de um revólver de pequeno calibre em sua cabeça. Em seu escritório, estava a documentação que o promotor ia apresentar na manhã desta segunda à Comissão de Legislação Penal da Câmara dos Deputados, por sua denúncia contra a presidente e vários membros próximos ao governo. A confirmação da morte foi feita pelo juiz que interveio em sua causa, Manuel de Campos, e as primeiras hipóteses falam de um “suposto suicídio”.