Share Button

Notícias ao Minuto

Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) informou à imprensa, na manhã desta quarta-feira (12), que, por conta da divulgação da “lista de Fachin”, o partido vai pedir que o presidente Michel Temer seja investigado. A sigla solicita também que todos os relatores e portadores de “postos de mando”, como ministros e o próprio presidente, sejam afastados de suas funções. Para finalizar, o PSOL reafirmou que devem haver eleições diretas para a Presidência da República. “O que dá legitimidade para que um programa possa ser implementado é a vontade popular. O PSOL volta a pedir eleições diretas para a Presidência da República para que a população possa escolher quem deve comandar o país”, disse Wyllys. Para o deputado, “não existe motivo para que Michel Temer não passe também por investigação”. Ele justifica esta tese com a investigação da ex-presidente Dilma Rousseff autorizada pelo ministro do STF Teori Zavascki no passado. Segundo Wyllys, o partido tem o apoio de “mais variadas forças, bem como da maioria da população brasileira” nestas medidas.