(Fonte / Foto: Betto Jr. / Bahia Notícias)

Lutar contra o racismo e tornar o país verdadeiramente justo. Esses foram os pedidos de Makota Valdina – conselheira de diversas instituições soteropolitanas e representante do movimento negro e religiões afro – ao discursar na comemoração dos 10 anos do PT no governo federal, no hotel Bahia Othon Palace, em Salvador. Ela falou após a chegada da presidente Dilma e do ex-presidente Lula, muito aplaudidos, pouco antes do Olodum subir ao palco para cantar o hino nacional. Makota Valdina, detentora do segundo título mais alto do candomblé (Makota), afirmou que é preciso comemorar o governo petista, citando especialmente o ex-presidente, mas ressaltou que também é preciso continuar evoluindo. “Tem que se comemorar que existe um Brasil antes e outro Brasil depois de Lula. Mas não basta, é preciso erradicar o racismo e chegar a real existência dos direitos humanos”, disse. Logo depois, ela mandou um recado para a presidente, ao discursar olhando diretamente para Dilma. O recado também foi para o deputado federal e presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, Marco Feliciano (PSC). “Quer ver fora Feliciano, ele que não entende nada de direitos humanos. Sei que ninguém governa sozinho, mas é aí que está o perigo”, pontuou. De resposta da presidente, ganhou um sorriso. Enquanto os discursos continuam do lado de dentro do Othon, na área externa os manifestantes do Movimento Passe Livre seguem sentados na pista, com o bloqueio do trânsito iniciado por volta das 18h30.