A redução da conta de luz para os consumidores, que foi anunciada pela presidente Dilma Rousseff, custará R$ 6,7 bilhões nos próximos quatro anos para reembolsar as companhias de energia elétrica do País, de acordo com informações do jornal O Estado de S.Paulo publicadas nesta segunda-feira. Conforme o jornal, em maio, R$ 2,5 bilhões saíram do fundo Reserva Global de Reversão (RGR) para outro, a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que financia o gasto com as usinas térmicas, Luz para Todos e outros programas de subsídios. O jornal afirma ainda que os gastos previstos pelo governo para esse fim tiveram que ser aumentados porque Cesp, Cemig e Copel não quiseram renovar suas concessões. (Terra)