13615181_1753179678293899_611529674927394706_n

Foto: Reprodução/ Facebook

Funcionários terceirizados do Centro de Educação Profissional do Campo Paulo Freire [demitidos no dia 30 de junho após o fim dos contratos com as empresas responsáveis pela contratação], em Santaluz, decidiram em reunião na tarde desta terça-feira (5) rejeitar a proposta da Secretaria da Educação do Estado (SEC) e, com isso, o retorno às aulas após o recesso junino, marcado para esta segunda-feira (4), continua suspenso. A decisão é a mesma tomada na manhã desta terça pelos funcionários do Colégio José Leitão. Segundo a diretora do Ceep do Campo Paulo Freire, professora Maria Helena Teixeira, as negociações com o governo não avançaram e, caso a situação não seja resolvida até esta quinta-feira (7), o grupo irá propor aos gestores do Colégio Estadual Tarcilina Borges de Barros e do José Leitão a realização de uma manifestação para mobilizar a sociedade e chamar a atenção do governo estadual para o problema. Por meio de nota, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) informou que os contratos com as empresas terceirizadas terminaram no dia 30 de junho. A secretaria disse ainda que orientou as escolas a contratarem os trabalhadores como prestadores de serviço temporários até o fim da licitação das novas empresas que terão os contratos regidos pela Lei Anticalote.

Redação Notícias de Santaluz