523617_528732467248012_1502237896_n

Grupo de Santaluz posa para foto junto com o coordenador-geral da APLB/Sindicato, professor Rui Oliveira (centro) | Foto: Divulgação

Na manhã desta terça-feira (18), segundo dia de paralisação nacional das redes municipal e estadual de ensino, convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), um grupo de trabalhadores em educação do município de Santaluz participou de uma manifestação na praça da Piedade, no Centro de Salvador. O movimento, coordenado pela APLB/Sindicato, reivindicou o cumprimento da lei do Piso, Carreira e Jornada, investimento dos royalties de petróleo no setor, votação imediata do Plano Nacional de Educação (PNE), destinação de 10% do PIB para a educação pública e contra a proposta dos governadores de reajuste do piso pelo INPC. De acordo com a diretoria da APLB, mais de 90% dos trabalhadores do setor estão paralisados e participam ativamente das manifestações, que ocorrem até esta quarta-feira (19). Na manhã de segunda-feira (17), os profissionais luzenses se reuniram, em assembléia, no auditório do Colégio Estadual Coronel José Leitão, em Santaluz.

Redação Notícias de Santaluz