Share Button

Por G1 BA

Foto: Reprodução/Redes sociais

Em tempos difíceis, onde a tristeza tomou conta da rotina das pessoas por causa da pandemia do novo coronavírus, o saxofonista baiano Delmar Teixeira, de 39 anos, decidiu criar uma “cabine musical” “anti-Covid” com plástico e tubos de PVC para voltar a trabalhar como artista de rua e levar música para o público.

Saxofonista profissional há cinco anos, Delmar revelou em entrevista ao G1 que ficou sem trabalhar por quatro meses, de março a junho de 2020, por causa da pandemia. O músico, que também já tocou violão na banda da cantora Ludmillah Anjos, ex-The Voice Brasil, diz que sentiu falta das apresentações musicais, porém ficava preocupado com a retomada do trabalho artístico por medo de se contaminar com a Covid-19. Além disso, ele perdeu uma prima de 30 anos, vítima da Covid-19 em 2020.

Diante da situação, o músico pensou em uma estratégia para tocar sax nas ruas e se manter isolado do vírus. Então Delmar usou a criatividade para aliar a música e a proteção.

“Sou artista de rua. Esse é o meu trabalho. Só fui moldando a forma conforme a situação”, revela o músico, que já se apresentou com sua criação em Valença, cidade do baixo sul baiano, também já tocou dentro da ‘cabine musical’ no Pelourinho, em Salvador, e agora se apresenta em um ponto do Corredor da Vitória, outro bairro da capital baiana. Ele destaca a importância da máscara e explica que só retira o equipamento de proteção no momento em que precisa tocar.

“É gratificante demais estar levando um pouco de suavidade para a vida das pessoas. Eu vejo isso como resposta quando as pessoas passam no carro e fazem um sinal de legal; muitos param e contribuem com o trabalho”, disse.