Share Button

Por G1

Foto: Marcos Corrêa/PR

Foto: Marcos Corrêa/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (20) que investidores internacionais deveriam manter ativos no país, aguardando efeitos das reformas estruturais que o governo promete dar seguimento em 2021. “Será um grande erro não investir no Brasil”, disse. Em conferência do Milken Institute, ele afirmou também que não haverá aumento da carga tributária no país, pois haverá apenas um remanejamento de impostos “inadequados”. “Não vamos aumentar impostos, e vamos reduzir juros corporativos. Nos Estados Unidos, derruba-se os impostos de empresas enquanto se taxa dividendos. Aqui, paga-se zero em dividendos e isso não é razoável”, disse Guedes. “O que faremos é deixar o sistema parecido com o dos Estados Unidos: mais impostos nos dividendos e menos para empresas”, explicou. O ministro também tentou tranquilizar investidores com relação à governança no país. Segundo Guedes, houve “muito barulho” durante as eleições de 2018 a respeito de autoritarismo por parte do então candidato Jair Bolsonaro, mas que o governo se provou democrático. “Estamos há um ano e meio sem corrupção no país. É como se fosse um século!”, disse. Sobre ameaças de furar o teto, Guedes colocou no Ministério da Economia o papel de segurar a euforia do governo, inclusive a popularidade de Bolsonaro. “Ele quer ser herói, mas nosso papel é segurá-lo abaixo do teto de gastos”, disse. “É por isso que saí brigando com meus colegas [de governo], não há hipótese de abandonarmos essa agenda.”