Sindicato aponta adesão de 90% no 1º dia de greve dos petroleiros baianos

O Sindicato dos Petroleiros da Bahia afirma que 90% dos trabalhadores da Petrobras e empresas subsidiárias paralisaram as atividades no primeiro dia de greve, deflagrada nesta quinta-feira (17), o que soma cerca de quatro mil empregados. “Nas unidades operacionais não houve troca dos turnos, o administrativo não funcionou, os terceirizados também cruzaram os braços, e na Refinaria os gerentes e supervisores, ao lado dos que estão confinados, mantiveram a rotina, o que eleva o stress, o cansaço e prejudica a qualidade de vida dos trabalhadores”, disse o sindicato em nota. Entre as reivindicações dos petroleiros está o cancelamento do leilão do Campo de Libra, o primeiro do pré-sal, marcada para a próxima segunda-feira (21), no Rio de Janeiro. O diretor do sindicato, Deyvid Bacelar, destacou também o pedido de aumento salarial. “Os trabalhadores mostram com esta paralisação que a exigência pelo ganho real de 5% mais as cláusulas econômicas e sociais são inegociáveis e que a greve continuará até que a direção da Petrobras e subsidiárias atendam às reivindicações dos trabalhadores, de acordo com a pauta defendida pela FUP e seus sindicatos”, afirmou. (BN)