O homem juntava o dinheiro com o objetivo de comprar uma casa para alugar o imóvel e viver com a renda do aluguel.

Duas sobrinhas de 13 e 14 anos podem ter sido as responsáveis por acabarem com o sonho de um catador de comprar uma casa. Marinô Pascoal de Melo, de 45 anos, teve R$ 28 mil roubados, dinheiro que ele havia economizado por dez anos com as latinhas que havia recolhido na cidade de Cabo Frio, no Rio de Janeiro. A investigação segue em andamento, mas o delegado responsável pelo caso afirma que as duas menores de idade, além de uma amiga de 14 anos e a mãe dela, roubaram o dinheiro. “As duas sobrinhas descobriram que ele tinha o dinheiro e começaram a furtá-lo aos poucos. Elas envolveram uma amiga, e posteriormente a mãe dessa amiga descobriu ao ver as coisas que a filha estava comprando. Só que a mãe incentivou o crime e as meninas continuaram furtando até a vítima descobrir, já em agosto”, explicou o delegado em entrevista ao G1. O homem juntava o dinheiro com o objetivo de comprar uma casa para alugar o imóvel e viver com a renda do aluguel. Ele guardava tudo em um armário na sua casa, dentro de uma mochila. O catador se deu conta que havia perdido tudo este mês, quando iria comprar uma quitinete no valor de R$ 25 mil. Ainda segundo o G1, o dinheiro roubado teria sido usado para comprar roupas, produtos domésticos e de informática, além de passeios e jantares. As três menores de idade devem responder por furto, enquanto a mãe de uma delas deve ser processada por corrupção de menores.