Um falso médico foi preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva, solicitado à Justiça pela Delegacia Territorial (DT) de Teixeira de Freitas, no sul da Bahia, na manhã desta sexta-feira (18). 

Antônio Cleiton Braga Leite, 33 anos, havia sido denunciado pela Secretaria de Saúde do município, depois de provocar o aborto numa mulher que procurou atendimento em Ibirapoã, a 878 quilômetros de Salvador. Cleiton seria diplomado em medicina por uma faculdade da Bolívia e estava clinicando desde janeiro deste ano, utilizando o carimbo de um médico de Salvador, segundo a polícia. Natural da cidade de Feijó, no Acre, ele é casado com uma médica baiana. 

Atualmente, Cleiton atendia no Centro de Saúde Isaura Chácara, em Ibirapoã, mas já havia passado anteriormente pelas cidades de Prado, Veredas e Itanhém. De acordo com o delegado Kleber Eduardo Gonçalves, carimbos, receituários em branco e assinados, um notebook, um HD externo, já encaminhados para a perícia, foram apreendidos na casa do falso médico.

A Polícia Civil apura denúncias de que Cleiton também teria atendido uma idosa, vítima de AVC, e a deixou com sequelas graves. Em Teixeira de Freitas, Cleiton utilizava uma identidade falsa em nome de Rodrigo Roffer Gomes Raposo. 

Indiciado por falsidade ideológica e exercício ilegal da medicina, o suspeito ficará custodiado na carceragem da 8ª Coorpin, aguardando transferência para o sistema prisional. 

Operação montada para combater falsos médicos do “Mais Médicos”  em 14 estados

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (18) a Operação Esculápio em 14 Estados para desbaratar um esquema de fraude no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida). De acordo com a PF, certidões de cursos de medicina realizados em outros países, principalmente Bolívia, eram fraudadas. A maioria dos falsos médicos é brasileira, comprou o diploma nos países e apenas entre dois ou três são bolivianos. 

Além da Bahia, são cumpridos 41 mandados de busca e apreensão Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul e São Paulo. (Correio)