DSC00267Foi preso pela Polícia Civil na última quinta-feira (25) o estudante de medicina Rafael Pontes Almeida, de 27 anos, acusado de praticar ilegalmente a medicina em Teofilândia. À polícia, ele contou que estudava medicina na Universidade Privada Aberta Latinoamericana UPAL, na cidade de Cochabamba, na Bolívia.

Em entrevista à Rádio Continental, o delegado Getúlio Queiroz, titular da Delegacia Territorial (DT) de Teofilândia e responsável pela prisão do falsário, disse que ele utilizava o número de registro (CRM) de outro médico para atender pacientes no Hospital Municipal Valdemar Ferreira (HMVF).

O homem, segundo o próprio depoimento, atuou na cidade nos dias 20 e 21 deste mês cumprindo escala de plantão de outro profissional. De acordo com a polícia, ele receberia R$ 1,3 mil por cada plantão.

O falso médico vai responder por exercício ilegal da medicina, falsidade ideológica, falsificação de documento particular e formação de quadrilha.

Dois casos em menos de cinco dias

No domingo (21) um homem foi preso acusado de praticar ilegalmente a medicina no Hospital Municipal de Araci. Segundo informações, ele utilizava um número de registro de outro médico para atender pacientes no hospital. O falso médico foi contratado pela prefeitura do município através de uma cooperativa. O rapaz que não teve o nome revelado saiu algemados pelos fundos da entidade e levado para a delegacia de Serrinha, onde deve ficar preso e responder por exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica. (A Voz do Campo)