Share Button

Por g1 BA e TV Bahia

Foto: Reprodução/g1

O comandante geral da Polícia Militar, Paulo Coutinho, disse na manhã desta quinta-feira (14), que a corporação vai atuar da mesma forma para impedir festas “paredões” em bairros periféricos e nobres das cidades baianas. Medida foi anunciada pelo governador na quarta-feira (13).

“A Polícia Militar usará da disque sonoridade para atuar em qualquer local não só da nossa capital, mas também do interior do estado, combatendo esse tipo de evento que em nada acrescenta na nossa sociedade”, disse Paulo Coutinho.

“É um evento, sobretudo, que leva ações do crime e fomenta sobretudo, a comercialização de entorpecentes”, acrescentou.

Na quarta-feira (13), o governador da Bahia, Rui Costa, afirmou que não vai permitir festas do tipo “paredão”, no estado. O gestor fez o anúncio nas redes sociais, mas não divulgou quando vai decretar a medida.

O relato de Rui Costa acontece horas após um ataque que terminou com seis pessoas mortas e outras 12 feridas em uma festa de rua no bairro do Uruguai, em Salvador. Dois suspeitos de participarem do crime foram presos.

De acordo com o governador da Bahia, a realização de festas em ruas serão permitidas apenas com a autorização das prefeituras e comunicados com a Polícia Militar.

“Não vamos permitir mais nenhuma festa de paredão na Bahia. Para festas serem realizadas fechando ruas, as prefeituras precisarão autorizar e comunicar à Polícia Militar previamente. Caso não haja autorização prévia, a PM deverá apreender os equipamentos sonoros”, disse o governador.

Nos últimos dois meses, 11 pessoas morreram em trocas de tiros durante festas “paredões”, no estado. De acordo com o comandante geral da PM, o policiamento será cada vez mais ostensivo e repressivo, caso seja necessário.

“Nós estamos atentos a isso e vamos implementar cada vez um policiamento ostensivo e repressivo, quando necessário, para fazer frente a essas situações”, contou.

No dia 7 de setembro, feriado da Independência do Brasil, dois jovens foram mortos a tiros durante uma festa no bairro de São Caetano, em Salvador. A festa aconteceu após uma partida de futebol.

Em agosto deste ano, ao menos dois casos de troca de tiros deixaram vítimas em festas “paredões”, na capital baiana. No dia 2, três homens morreram após serem baleados em uma festa do tipo “paredão”, na Rua 14 de Setembro, bairro de Paripe.

Já no dia 29, o jovem Luís Henrique de Jesus Silva, de 22 anos, morreu e outras três pessoas ficaram feridas em uma festa “paredão”, no bairro da Fazenda Grande do Retiro.