Homem protesta nesta quinta-feira (16); ‘Vaticano protege pedófilos’, diz cartaz (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

O Vaticano afirmou nesta quinta-feira (16), ao Comitê de Direitos da Criança da Organização das Nações Unidas (ONU), que não existe desculpa possível para os casos de exploração e violência contra menores, e admitiu que existem responsáveis por abusos em “todas as profissões, inclusive entre membros do clero”. “Existem abusadores entre os membros das profissões mais respeitadas do mundo e, mais lamentavelmente, inclusive entre membros do clero e de funcionários da Igreja”, disse o monsenhor Silvano Tomasi, representante da Santa Sé na ONU.A apresentação do Vaticano no comitê foi uma oportunidade de a Igreja Católica participar de um debate público focado nos abusos sexuais de crianças cometidos por sacerdotes. “A Santa Sé cuidadosamente delineou políticas e procedimentos no intuito de ajudar a eliminar tal abuso e a colaborar com as respectivas autoridades estatais para lutar contra esse crime. A Santa Sé também se comprometeu a ouvir cuidadosamente as vítimas de abuso e a admitir o impacto de tais situações nos sobreviventes e em suas famílias”, disse Tomasi ao comitê. O Vaticano informou que recebe cerca de 600 denúncias anuais de pedofilia contra sacerdotes, muitas delas sobre fatos ocorridos nos anos 1960, 70 e 80. Com informações do G1.