Após o protesto que durou sete horas e gerou 20 km de congestionamento na BR-324, trecho na altura da cidade de Candeias, nesta terça-feira (3), e preocupado com a mobilidade das pessoas em todo o estado da Bahia. O vice-governador e secretário de Infra-estrutura, Otto Alencar, disse que vai solicitar ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) aplicação de medidas para impedir que manifestações fechem as rodovias e principais avenidas.

“Aqui na Secretaria, recebo, por dia, média de quatro informações de rodovias paralisadas. Eu me manifestei ao promotor [de Justiça] Wellington César Lima e Silva e vou conversar com a assessoria jurídica para formalizar ao Ministério Público um pedido de que possa agir para coibir [manifestações] sem uma negociação [prévia], para que não venha prejudicar a vida do cidadão”, explicou.

Otto Alencar diz que não é contra a manifestação, mas que ela deve ser realizada de forma organizada. “Em um lugar ordenado, que possa ter uma negociação com o poder judiciário, com a força policial, com o Ministério Público, como aconteceu recentemente durante as manifestações que ocorreram no Brasil. Obstruir uma via que vai levar um paciente, que vai ao trabalho, sou completamente contra”, avalia.

Morador da região sisaleira morre após longa espera na estrada bloqueada

O vice-governador relata o caso de um morador da região sisaleira que sofreu infarto e estava a caminho de Salvador para ocupar uma vaga no Hospital Ana Nery. Perto de Feira de Santana, o paciente não resistiu depois de seis horas de espera na estrada.

“Vários casos já aconteceram. Em um deles, o paciente teve um infarto, ia ao hospital, já estava regulado. Isso há mais ou menos 45 dias. Não foi permitido que ele passasse e morreu dentro da ambulância”, relata.

Com informações do G1 BA