Share Button

EFE

2016-02-02t160942z_2125896401_gf10000293304_rtrmadp_3_soccer-spain-fraud_1

Foto: Reprodução/ Reuters

A Promotoria espanhola pediu nesta quarta-feira (23) 2 anos de prisão e 10 milhões de euros de multa para Neymar e 5 anos para o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell por crimes de corrupção e fraude na contratação do atacante, uma queixa realizada pelo fundo brasileiro DIS, que possuía 40% de seus direitos federativos. No documento que consta a acusação, o promotor da Audiência Nacional José Perals, que pediu o arquivamento da causa para o presidente do Barcelona, Josep María Bartomeu, por falta de indícios contra ele, reivindica, além disso, o pagamento de 8,4 milhões de euros de multa para o clube espanhol e 7 milhões para o Santos. As autoridades também solicitaram dois anos de prisão para o pai de Neymar e um ano para sua mãe, ambos pelo crime de corrupção, e pede além disso uma multa de 1,4 milhão de euros para a empresa familiar N&N, além de reivindicar a cada um deles a mesma multa de 10 milhões de euros que o promotor pediu para o jogador.