As fotos dos cartões de respostas e dos sacos contendo as provas foram publicadas minutos após o fechamento dos portões | Correio24h

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou que, até as 15h, 21 candidatos foram eliminados por postar imagem do cartão resposta do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em redes sociais. Algumas fotos foram postadas minutos antes do início da prova.

Pelas regras do Enem, não é permitido o uso de eletrônicos no local de prova e nem postar fotos do exame. Os portões abriram às 12h e o exame começou a ser aplicado às 13h, pelo horário de Brasília. Ao chegar na sala de aula, o candidato é orientado a colocar aparelhos eletrônicos, como celular e tablet, em um envelope lacrado, que deverá ficar embaixo da carteira durante toda a prova. O celular deve estar desligado.

Mesmo com o alerta do Ministério da Educação de que eliminaria quem postasse fotos ou mensagens em redes sociais no local de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), alguns candidatos desrespeitaram a determinação e podem ser suspensos do exame.

Fotos postadas no Instagram do caderno de provas do Enem, da folha de respostas e do envelope para guardar equipamentos eletrônicos

Em uma busca rápida pela palavra Enem nas redes sociais, é possível ver uma série de publicações de fotos e diálogos entre pessoas que supostamente estão fazendo prova. O Inep diz que cada caso será analisado. Um usuário aproveita o celular para tirar uma dúvida: “Gente, rapidinho aqui, alguém lembra a fórmula pra calcular a força de polias duplas?? #ENEM”. Outra usuária fez a postagem com o objetivo de ser eliminada: “Gente, tô aqui no Enem e não sei nada me elimina alguém por favor #meelimina #enem #naoseinada”

As fotos dos cartões de respostas e dos sacos contendo as provas foram publicadas minutos após o fechamento dos portões. Em algumas delas é possível ler o nome completo e dados pessoais dos candidatos, como o RG e o CPF. 

As provas desse ano foram submetidas a uma segurança mais rígida. Após deixar a gráfica de segurança máxima em malotes com lacre eletrônico e GPS, elas foram guardadas em um galpão do Exército em São Paulo e nesta semana distribuídas entre os estados. (Agência Brasil)

*Atualizado em 26.10.2013 – 17h13