Share Button
Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

A Polícia Federal produziu uma relatório a partir de mensagens obtidas no celular do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). As conversas revelam esquemas de pagamento de propina para integrantes de seu partido. Em uma das conversas, de 2012, o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) agradece um repasse. “Chegou! Valeu. Agradeça lá”, diz ele, sobre o pagamento indevido. Cunha responde: “Claro, não tinha dúvidas. Aqui se atrasa, mas não falha”. De acordo com o jornal O Globo, o celular de Cunha foi apreendido pela PF em buscas feitas em dezembro de 2015. O relatório foi concluído em dezembro do ano passado e enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF). O sigilo do documento foi retirado somente agora. O relatório mostra, ainda, que Cunha orientava aliados a votarem medidas provisórias de acordo com seus interesses e influenciava a nomeação de cargos públicos.