Share Button
Foto Lula Marques/Agência PT

O ministro Edson Fachin | Foto Lula Marques/Agência PT

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e não levará para o plenário a decisão sobre o assunto. Segundo o G1, o plenário só avaliará o caso se o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor do pedido, decidir recorrer da decisão de Fachin. A decisão de Fachin afastou Aécio Neves do mandato. Ele pode ir ao Congresso, mas não pode votar nem fazer nenhum ato como parlamentar. Fachin apreendeu o passaporte de Aécio e o proibiu de ter contato com outros investigados. Em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR), o proprietário do frigorífico JBS, Joesley Batista, disse que gravou Aécio Neves (MG) pedindo a ele R$ 2 milhões. No áudio, com duração de cerca de 30 minutos, o presidente nacional do PSDB justifica o pedido dizendo que precisava da quantia para pagar sua defesa na Lava Jato.