Share Button
MPF acusa ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de receber um triplex da OAS como pagamento de propina (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

MPF acusa ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de receber um triplex da OAS como pagamento de propina | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a suspensão do processo do triplex da empreiteira OAS. Com isso, está mantido o depoimento do petista ao juiz Sérgio Moro nesta quarta (10), em Curitiba. Segundo o G1, a decisão é do juiz federal Nivaldo Brunoni, convocado para substituir desembargador federal relator da Lava Jato na 8ª Turma, em Porto Alegre, João Pedro Gebran Neto. Para o magistrado, não há razão para suspender o depoimento e o andamento da ação penal. “Assim, ausente flagrante ilegalidade e possibilitada pela própria autoridade coatora a apresentação de documentação até a fase do art. 402 do CPP e, ainda, a eventual repetição de atos processuais já realizados, não há razão para o deferimento de suspensão do interrogatório do paciente e sobrestamento da ação penal”, diz o texto. O MPF acusa Lula de receber um triplex da construtora, como pagamento de propina. O petista nega as acusações.