Share Button

Por RFI

Profissional de saúde coleta material para teste de Covid-19 na cidade de Zhengzhou, na China | Foto: Cnsphoto Via Reuters

Milhões de pessoas voltaram ao confinamento na China a partir desta segunda-feira (2), quando o país tenta conter seu maior surto de coronavírus em meses, agravado pela disseminação da variante delta. A aplicação em massa de testes e restrições a viagens se somam às medidas para conter o retorno da pandemia de Covid.

O país relatou 55 novos casos de coronavírus transmitidos localmente, nesta segunda-feira, quando um surto da variante delta, de rápida disseminação, atinge mais de 20 cidades em diferentes províncias. Os governos locais nas principais cidades, incluindo Pequim, já testaram milhões de residentes, enquanto isolam complexos residenciais e colocam casos de contato em quarentena.

A cidade Zhuzhou, no centro da província de Hunan, ordenou o confinamento de mais de 1,2 milhão de moradores em suas casas pelos próximos três dias, enquanto uma campanha de vacinação e de testes é realizada em toda a cidade, de acordo com um comunicado oficial. “A situação ainda é sombria e complicada”, afirmou o governo de Zhuzhou.

A situação se instala no país quando Pequim já comemorava o sucesso em ter reduzido os casos domésticos de Covid-19 a praticamente zero desde que o coronavírus surgiu pela primeira vez em Wuhan, no final de 2019. O controle da pandemia já permitia uma forte recuperação econômica.

Mas a calmaria durou pouco. O mais recente surto, ligado a um foco em Nanjing, onde nove funcionários do serviço de limpeza de um aeroporto internacional testaram positivo em 20 de julho, ameaça essa tranquilidade, com mais de 360 ​​casos domésticos registrados nas últimas duas semanas.