SAM_0429

De acordo com os líderes do movimento, a expectativa é que, nas próximas horas, com a aparente solução do impasse, o bloqueio seja suspenso.

Representantes da mineradora canadense Yamana Gold e líderes do Projeto de Assentamento Nova Esperança, localizado no município de Cansanção, ligado ao Movimento de Unificação Camponesa (MUC) no Território do Sisal, se reuniram na tarde desta terça-feira (15) na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), em Salvador, para tentarem chegar a um acordo e pôr fim ao bloqueio da principal via de acesso ao Projeto C1 Santaluz, da Yamana, interditada desde a manhã desta segunda-feira (14).

A reunião foi uma exigência dos próprios manifestantes, e foi mediada pela superintendência do INCRA. Durante as negociações, foi formulada uma proposta e levada aos manifestantes, em uma assembléia que aconteceu na manhã desta quarta-feira (16), em Santaluz.

De acordo com os líderes do movimento, a proposta sofreu algumas alterações e em seguida foi encaminhada para apreciação da diretoria da Yamana. A expectativa é que, nas próximas horas, com a aparente solução do impasse, o bloqueio seja suspenso.

Os assentados reivindicam a remoção das famílias para outro local, por estarem sofrendo com problemas de saúde, causados pela poluição da água, odor do cianeto, poeira, barulho e tremores de terra, provocados pelas detonações ocorridas na mina, além de serem prejudicados pelos danos causados ao Rio Itapicuru.

Através de comunicado oficial enviado ao Notícias de Santaluz, a Yamana informou que o projeto C1 Santaluz tem participado como parte interessada e não tem medido esforços para que o processo de negociação de reassentamento para novas áreas avance de forma estruturada.

Redação Notícias de Santaluz