Share Button
Foto: Dave Kotinsky/Getty Images

Foto: Dave Kotinsky/Getty Images

No próximo sábado, uma das maiores rivalidades da história do MMA terá uma quarta edição: Wanderlei Silva e Quinton “Rampage” Jackson se enfrentam no coevento principal do Bellator 206, em San Jose (EUA). As duas lendas se enfrentaram duas vezes pelo Pride e uma pelo UFC, a última delas há quase dez anos. Apesar de ter sido derrotado no encontro mais recente, Wand está por cima no confronto, com duas vitórias com nocautes espetaculares. Então, o que motivou o “Cachorro Louco”, aos 42 anos de idade, a aceitar um novo confronto com Jackson, de 40? – Foi um milhão de dólares que me ofereceram (risos). O Scott (Coker, presidente do Bellator) me ligou e falou, “Te dou um milhão de dólares para você lutar com o Rampage.” Estou sem fazer nada mesmo! Já voltei a treinar, estou treinando com a rapaziada, e estou me sentindo muito bem. Vou fazer essa luta, e talvez eu lute em dezembro novamente – disse Wanderlei ao Combate.com, durante entrevista em Curitiba no início do mês. Os dois lutadores têm uma grande responsabilidade pela frente: recriar um pouco da mágica de três confrontos que ficaram marcados na história do MMA. No Japão, Wanderlei venceu duas lutas muito duras, em 2003 e 2004, durante os quatro anos em que ficou invicto e reinou no Pride. Nos EUA, em 2008, Rampage nocauteou o brasileiro no primeiro round, seis meses após perder o cinturão do UFC. “(Podem esperar) Um ótimo Wanderlei. Eu estou me sentindo bem, estou treinando bem, mais experiente, lutando de uma maneira mais inteligente e mais agressiva. Acho que a luta vai ser realmente um grande combate. Que ele treine, porque estou afiado e estou indo para nocautear. Não sei se ele é macho o bastante para aceitar a luta comigo em pé. Espero que sim, se ele aceitar, vamos fazer um grande combate”, concluiu o “Cachorro Louco”.