WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio



Laboratório Checap drogaria_santana

:: ‘Destaque3’

Opositor de Maduro, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela é detido e liberado em seguida

Share Button

Por G1 BA

Juan Guaidó, em foto postada no Twitter após ele ser liberado pelo serviço de inteligência bolivariano | Foto: Reprodução/Twitter/Jguaidó

Juan Guaidó, em foto postada no Twitter após ser liberado pelo serviço de inteligência bolivariano | Foto: Reprodução/Twitter/Jguaidó

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, o oposicionista Juan Guaidó, foi detido por agentes do serviço de inteligência venezuelana neste domingo (13) e, segundo sua mulher e parlamentares de seu partido, liberado alguns minutos depois. A ação ocorreu numa rodovia que sai da capital Caracas em direção a La Guaira. Instantes após a notícia da detenção, deputados e líderes do Voluntad Popular (VP), partido em que Guaidó atua, informaram à agência espanhola EFE que o parlamentar havia sido libertado e que enviou uma mensagem às pessoas que esperavam por ele em Vargas, onde faria um comício, para que não saíssem do local. “Já estou no meu berço, no meu estado Vargas. O regime tentou me impedir, mas nada e ninguém vai nos impedir. Aqui continuamos em frente pela nossa Venezuela”, dizia um post do deputado depois da liberação. O ministro de Comunicação e Informação, Jorge Rodríguez, confirmou que um grupo de funcionários manteve detido o deputado em uma ação “irregular e unilateral”. Falando à TV oficial chavista VTV, o ministro disse que esses funcionários que se prestaram ao que chamou de “show da mídia” — principalmente da imprensa americana e colombiana — serão demitidos e submetidos aos mais rigorosos processos disciplinares. Na sexta-feira, Guaidó disse num evento público em Caracas que estava disposto a assumir a presidência venezuelana depois que a oposição declarou o segundo mandato do presidente Nicolás Maduro como ilegítimo.

Bolsonaro sanciona lei que determina cassar CNH de condenados por contrabando

Share Button

Por G1

Foto: Divulgação/Detran

Foto: Divulgação/Detran

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta sexta-feira (11) a lei que cassa a CNH de motoristas condenados que utilizaram veículos em crimes de receptação, contrabando e descaminho (entrada de mercadoria no país sem passar pelos trâmites legais). De acordo com o texto publicado no Diário Oficial da União, a punição vale para o condutor que tiver a decisão judicial transitada em julgado. Nesse caso, o criminoso terá seu documento de habilitação cassado ou será proibido de obter a CNH pelo prazo de 5 anos. Depois desse período, o condutor poderá requerer nova habilitação e passará pelos exames necessários para conseguir o documento. No caso de ser preso em flagrante, o motorista poderá ter a habilitação suspensa ou ser impedido de obter a CNH por decisão do juiz antes da condenação. A nova lei entra em vigor a partir da data de sua publicação. O projeto de lei inicial também previa o bloqueio do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) da empresa que se envolvesse com transporte, distribuição, armazenamento ou comercialização de produtos oriundos de furto, roubo, contrabando, falsificação ou descaminho. No entanto, este ponto da lei foi vetado. Outra determinação que saiu da lei sancionada foi a exigência que seria feita para estabelecimentos que vendem cigarros e bebidas alcoólicas. Eles deveriam afixar advertência escrita com os seguintes dizeres: “É crime vender cigarros e bebidas contrabandeados. Denuncie”.

Janot diz que jamais ocuparia cargo no governo para não contaminar Lava Jato

Share Button
Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

O ex-procurador-geral Rodrigo Janot foi uma das autoridades entrevistadas pelo jornalista Kennedy Alencar no documentário “What Happened to Brazil”¦”, da BBC World News, que lança nova luz sobre os fatos mais notáveis da política desde o levante de 2013 até a eleição de 2018. Na filmagem, Janot disse que jamais ocuparia cargo no governo, de acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo. “O que eu faria se tivesse sido convidado para eventualmente ser ministro da Justiça e eventualmente para ser ministro do STF? Para que não haja contaminação dessa que é a maior investigação da história brasileira (…), eu nem titubearia em cogitar. A minha resposta seria imediata: não e não”, disse. Janot deu a declaração a Alencar no fim do ano passado, antes de Sergio Moro decidir ser o ministro da Justiça de Bolsonaro. O documentário, que ouve também ministros do Supremo e ex-presidentes, será exibido em três episódios e estreia neste sábado (12), à 0h30.

Senado dos EUA condena programa de envio de médicos de Cuba: ‘tráfico de pessoas’

Share Button

Por Reuters

Embarque de médicos cubanos no aeroporto de Brasília | Foto: Karina Zambrana

Resolução cita especificamente cerca de 8,3 mil médicos cubanos que estavam recentemente alocados no Brasil | Foto: Karina Zambrana

O programa do regime de Cuba que exporta médicos cubanos para outros países do mundo foi classificado como tráfico de pessoas por uma resolução apresentada no Senado dos Estados Unidos nesta quinta-feira (10). A resolução cita especificamente cerca de 8,3 mil médicos cubanos que estavam recentemente alocados no Brasil sob um contrato com o governo de Cuba, pelo programa Mais Médicos – criado durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Em novembro, Cuba retirou os médicos do Brasil depois de críticas do então presidente eleito, Jair Bolsonaro, que classificou o programa de “trabalho escravo”. Bolsonaro tomou posse em 1º de janeiro. Bolsonaro criticou, à época, o fato do governo de Cuba ficar com a maior parte dos salários pagos aos médicos. O presidente, ainda antes de tomar posse, condicionou a continuidade do programa Mais Médicos à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos e a liberdade para trazerem suas famílias. Com o sistema de saúde, Cuba arrecada divisas externas enviando mais de 50 mil trabalhadores de saúde para mais de 60 países. A condenação – apresentada por iniciativa do senadores Bob Menendez, democrata de Nova Jersey, e Marco Rubio, republicano da Flórida – é em grande medida simbólica, tendo como objetivo chamar atenção para a situação, e não penalizar ninguém. “As informações recentes vindas do Brasil mostram que o governo cubano lucra com suas missões médicas estrangeiras patrocinadas pelo Estado, que são vendidas como diplomacia médica, mas se parecem muito mais com servidão contratada”, disse Menendez em um comunicado. Os Estados Unidos e Cuba possuem relações conturbadas desde que Fidel Castro assumiu o poder na revolução de 1959.

‘Perdeu a noção’, diz Mourão sobre ida da presidente do PT à posse de Maduro na Venezuela

Share Button
O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão | Foto: José Cruz /Agência Brasil

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão | Foto: José Cruz /Agência Brasil

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse ao blog da Andréia Sadi nesta quinta-feira (10) que a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, “perdeu a noção” ao comentar a presença do partido na posse do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. “O PT coonesta com este tipo de regime. Eles têm esta visão: por mais errado que seja, eles apoiam. Perdeu a noção”, disse o vice. Gleisi justificou ao blog a ida à posse do chefe de Estado venezuelano porque, segundo ela, Maduro foi eleito dentro das “regras democráticas”. Questionado sobre o fato de o PT ter boicotado a posse de Jair Bolsonaro, Mourão afirmou que “é a dicotomia deles”. “O PT é aquele gurizinho que perde e não joga mais.” Na avaliação do vice-presidente, o PT está “perdido” por estar sem “liderança. “Quem lidera o PT? PT ficou partido de um homem só, Lula fez isso. Gleisi Hoffmann não leva um grupo de combate [9 pessoas] à missa. Cadê os pensadores do PT?”

Chinês que vendeu rim para comprar iPad e iPhone é internado com falência do outro órgão

Share Button

Por Extra

Wang Shangkun após vender um rim | Foto: Reprodução da internet

Wang Shangkun após vender um rim | Foto: Reprodução da internet

Em 2011, Wang Shangkun (hoje com 25 anos), usou o mercado negro para vender um rim a fim de comprar um iPad, o seu sonho de consumo. Pelo órgão, o chinês recebeu o equivalente a R$ 11,8 mil. Com o dinheiro, Wang comprou não somente um iPad, como também um iPhone 4. “Por que preciso de um segundo rim?”, disse ele à época, de acordo com a imprensa local. Só que, segundo reportagem do “Mirror”, o outro rim de Wang apresentou problema e está entrando em falência. O chinês está agora internado. Sua vida depende da hemodiálise. O chinês começou a apresentar problemas renais logo após a cirurgia. Ele teria contraído uma infecção por causa do ambiente nada sanitário onde a remoção do rim foi feita. Além disso, não houve cuidados pós-operatórios ideais. Em 2012, nove pessoas foram presas em conexão ao caso, incluindo dois médicos que fizeram a cirurgia, realizada na cidade de Chenzhou (província de Hunan).

Polícia prende mulher dentro de casa com 10 Kg de maconha e porções de cocaína na Bahia

Share Button
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu na quarta-feira (9) uma mulher com 10 quilos de maconha, uma pedra grande de cocaína e mais 30 porções da mesma droga, já embaladas para venda, dentro de uma casa no bairro Argemiro, em Juazeiro, no norte da Bahia. No imóvel, conforme a polícia, também foram encontrados uma balança de precisão e dinheiro proveniente da venda das drogas. Segundo a Polícia Civil, equipes da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) vinham investigando a movimentação na casa de Ianca Sângela Valêncio, onde funcionava um ponto de tráfico de drogas. Todo material apreendido seguirá para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Notícias de Santaluz

Há uma semana no cargo, presidente da Apex pede demissão, e governo Bolsonaro tem 1ª baixa

Share Button

Por G1

Alex Carreiro, presidente da Apex que pediu demissão uma semana após tomar posse | Foto: Reprodução/Site da Apex

Alex Carreiro, presidente da Apex que pediu demissão uma semana após tomar posse | Foto: Reprodução/Site da Apex

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, informou nesta quarta-feira (9) que o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), Alex Carreiro, pediu demissão do cargo. É a 1ª baixa do governo Bolsonaro. A Apex é o principal órgão responsável por promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. Segundo Araújo, o nome do embaixador Mario Vilalva como substituto de Carreiro já foi levado ao presidente Jair Bolsonaro. Carreiro foi nomeado para o cargo no último dia 2. Ao informar que o presidente da Apex pediu demissão, Ernesto Araújo não explicou os motivos da saída. Segundo o jornal “O Globo”, Carreiro só poderia permanecer no cargo se o estatuto da agência fosse alterado, isso porque ele não é fluente em inglês e não tem experiência no setor público na área de comércio exterior. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o indicado para o cargo, Mario Vilalva, é formado em direito pela Universidade de Brasília (UnB) e em 1976 ingressou na carreira diplomática. Ainda segundo a pasta, Vilalva serviu nas embaixadas do Brasil em Washington (EUA), Pretória (África do Sul) e Roma (Itália), por exemplo, além de já ter sido embaixador do Brasil em Santiago (Chile) e em Lisboa (Portugal).

Avião com destino a SP tem pane no aeroporto de Salvador e voo é cancelado

Share Button

Por G1 BA

Caso aconteceu na manhã desta quarta-feira (9), no aeroporto de Salvador | Foto: Alan Tiago Alves/G1

Caso aconteceu na manhã desta quarta-feira (9), no aeroporto de Salvador | Foto: Alan Tiago Alves/G1

Um voo da Companhia Aérea Latam foi cancelado no Aeroporto Internacional de Salvador, na manhã desta quarta-feira (9), depois que o avião sofreu uma pane. A previsão é que os passageiros embarquem ainda nesta quarta. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o voo Latam 3601 tinha como destino o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, mas apresentou a pane e precisou passar por uma manutenção. Por conta disso, os passageiros tiveram que desembarcar. Em nota, a Latam Airlines Brasil informou que, devido à necessidade de manutenção corretiva, o voo LA3601 foi reprogramado sob o código LA9000, com decolagem prevista para as 12h15 (horário de Brasília). A companhia lamentou o ocorrido e informou que “os passageiros estão recebendo a assistência necessária”.

‘Não é qualquer um que entra em nossa casa’, diz Bolsonaro sobre migrantes

Share Button

Por Estadão Conteúdo

Foto: Alan Santos/PR

Foto: Alan Santos/PR

Após o Brasil se retirar do Pacto Global para a Migração, da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro adotou o discurso de soberania nacional para defender a decisão. Em uma publicação no Twitter, Bolsonaro declarou que o País é soberano para aceitar ou não a entrada de migrantes e que “não é qualquer um que entra em nossa casa”. “O Brasil é soberano para decidir se aceita ou não migrantes. Quem porventura vier para cá deverá estar sujeito às nossas leis, regras e costumes, bem como deverá cantar nosso hino e respeitar nossa cultura”, diz a mensagem publicada pelo presidente. “Não é qualquer um que entra em nossa casa, nem será qualquer um que entrará no Brasil via pacto adotado por terceiros.” O pacto foi assinado por Michel Temer em dezembro e aprovado por mais de 150 países. Negociado desde 2017, o documento era uma resposta internacional à crise que havia atingido diversos países por conta de um fluxo de migrantes e refugiados. O pacto foi aprovado por mais de 160 países na a conferência intergovernamental da ONU, em Marraquexe. “O Brasil buscará um marco regulatório compatível com a realidade nacional e com o bem-estar de brasileiros e estrangeiros. No caso dos venezuelanos que fogem do regime Maduro, continuaremos a acolhê-los”, afirmou o chanceler Ernesto Araújo. 





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia