WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio




Laboratório Checap

Drogaria Santana

Adrivana Cunha Hospital de Olhos


:: ‘Destaque3’

Petrobras diz que não pode antecipar decisões sobre preços dos combustíveis

Share Button

Por g1

Foto: Marcelo Brandt/G1

A Petrobras afirmou nesta sexta-feira (18) que não pode antecipar “decisões sobre manutenção ou ajustes de preços”, indicando que os preços dos combustíveis não devem sofrer novos ajustes no curto prazo.

Na última sexta-feira (11), em meio à disparada dos preços internacionais do petróleo, a Petrobras reajustou o preço da gasolina em 18,8%, e o do diesel, em 24,9%. Já o gás de cozinha ficou 16,1% mais caro. No início da mesma semana, o preço do barril se aproximou dos US$ 140.

Os reajustes, pressionados pela alta internacional do petróleo devido à guerra na Ucrânia, têm sido alvo de críticas da população e do governo – que cobra uma redução após o recuo dos preços do barril esta semana.

Na nota divulgada nesta sexta, a Petrobras afirma que, em um primeiro momento, decidiu não repassar a volatilidade dos preços, o que aconteceu apenas em 11 de março, “após serem observados preços em patamares consistentemente elevados”.

“Os valores aplicados naquele momento, apesar de relevantes, refletiam somente parte da elevação dos patamares internacionais de preços de petróleo, que foram fortemente impactados pela oferta limitada frente a demanda mundial por energia”, justifica a estatal.

“Nos últimos dias, observamos redução dos níveis de preços internacionais de derivados, seguida de forte aumento no dia de ontem. A Petrobras tem sensibilidade quanto aos impactos dos preços na sociedade e mantém monitoramento diário do mercado nesse momento desafiador e de alta volatilidade, não podendo antecipar decisões sobre manutenção ou ajustes de preços”, aponta a petroleira no texto.

A alta de preços anunciada pela Petrobras na semana passada gerou forte reação negativa. Na última quarta, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), repetiu a queixa do presidente Jair Bolsonaro – que, na véspera, disse esperar que a estatal repasse aos combustíveis a queda recente no preço internacional do barril de petróleo.

“O barril sobe e a gente aumenta. O barril baixa e a gente não baixa? É importante que a Petrobras recue o preço do aumento que deu. Porque o dólar está caindo e o barril está caindo, então são dois componentes que fazem a política de preço da Petrobras”, afirmou Lira.

Na terça, Bolsonaro ironizou a “sensibilidade da Petrobras ” ao elevar o preço da gasolina e do diesel nas refinarias.

“Agora, essa guerra que está lá na Rússia, lá com a Ucrânia, tem influenciado a nossa economia. Pelo que tudo indica, os números agora, em especial do preço do barril de petróleo lá fora, sinalizam para uma normalidade no mundo. Espero que assim seja”, disse o presidente.

“E espero que a nossa querida Petrobras, que teve muita sensibilidade ao não nos dar um dia [de prazo extra], ela retorne aos níveis da semana passada os preços dos combustíveis no Brasil”, prosseguiu.

Moro vê economia brasileira estagnada e diz que governo Bolsonaro ‘fracassou’

Share Button

Por g1

Foto: Reprodução/JH

O pré-candidato do Podemos à Presidência da República, Sergio Moro, afirmou nesta terça-feira (15) que o Brasil está estagnado economicamente e que o governo do presidente Jair Bolsonaro “fracassou”.

Moro participou de um encontro com o Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras e com o Fórum Nacional de Filantropia e de escolas confessionais em Brasília. O pré-candidato fica na cidade até esta quinta-feira (17), onde também se encontrará com lideranças políticas.

“Tem muita gente que se desapontou com esse governo. O Brasil está estagnado economicamente. As pessoas estão sofrendo, o desemprego está alto, a inflação está crescente. Todo mundo tem razões para estar desapontado com esse governo, porque não entregou os resultados, não entregou as promessas. No fundo, o governo fracassou”, afirmou a jornalistas ao final do encontro.

Moro é ex-juiz e deixou a magistratura no final de 2018 após aceitar convite de Bolsonaro para fazer parte do governo. Ele foi ministro da Justiça de Bolsonaro do início do governo, em janeiro de 2019, até abril de 2020, quando deixou o cargo sob a alegação de que o presidente interferia na Polícia Federal.

Desde então, Moro tem criticado o governo Bolsonaro.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, acelerou para 1,01% em fevereiro e, em 12 meses, acumula alta de 10,54%.

Em 2021, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 4,6%, depois de ter registrado queda de 3,9% em 2020, primeiro ano da pandemia do novo coronavírus. Apesar do crescimento do ano passado, o PIB ainda está 2,8% abaixo da melhor marca histórica, alcançada em 2014.

No trimestre encerrado em dezembro de 2021, a taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,1%. A falta de trabalho ainda atinge 12 milhões de brasileiros.

Combate à corrupção

Moro disse ainda que o governo Bolsonaro acabou com o combate à corrupção no país e que o judiciário contribuiu “igualmente” para o enfraquecimento das ações.

Esta parte do evento não foi aberta à imprensa, mas vídeos divulgados pela assessoria do pré-candidato registraram a resposta de Moro a uma pergunta sobre retrocessos no combate à corrupção.

O ex-ministro disse que a “opinião pública deixou de prestar a atenção no assunto” e que o “sistema político” se aproveitou para reagir, alterando leis, o que dificulta o combate à corrupção.

“Nesse governo, acabou o combate à corrupção. Simplesmente conseguiram acabar. Culpa só do governo, não. Culpa também dos outros Poderes. Mas o resultado final é esse. Não tem ninguém sendo investigado e preso por corrupção no Brasil hoje. Tem o guarda da esquina, isso continua”, afirmou Moro.

“Os grandes tubarões estão passando ao largo e quem tinha sido condenado está tendo as condenações anuladas. O judiciário, lamentavelmente, parcela do judiciário, contribuiu igualmente para o enfraquecimento do [combate] à corrupção. Anulação de condenações por corrupção que ninguém entende o motivo”, acrescentou o ex-ministro.

Em suas manifestações, Moro vem criticando a anulação, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), de uma decisão dele que condenou à prisão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no âmbito da Lava Jato.

Em entrevista ao programa “Em Foco”, da jornalista Andréia Sadi, Moro disse que respeita a Suprema Corte, mas chamou a decisão de “baita erro judiciário”.

PT oficializa Jerônimo Rodrigues como pré-candidato ao governo da Bahia em 2022

Share Button

Jerônimo Rodrigues é o candidato do PT ao governo da Bahia | Foto: Divulgação

O PT (Partido dos Trabalhadores) informou nesta sexta-feira (11), que oficializou o nome do atual secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, como pré-candidato ao governo do estado da Bahia.

O anúncio foi realizado após uma reunião com diversas lideranças do partido. Jerônimo vai liderar a chapa da situação, após a desistência do senador Jaques Wagner, que era o pré-candidato, o partido definiu o nome de Jerônimo após tratativas internas.

O nome da atual prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, e do ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, também foram opções discutidas para concorrer ao governo do estado.

Nascido em Aiquara, no sudoeste da Bahia, Jerônimo fará a sua estreia na disputa eleitoral nas eleições deste ano. Ele é professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e foi secretário de Desenvolvimento Rural da Bahia, de 2015 a fevereiro de 2019, quando assumiu a Secretaria da Educação do Estado.

Outro pré-candidato ao governo da Bahia já anunciado é o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, que vai concorrer ao pleito pelo União Brasil. ACM Neto lançou a candidatura no dia 2 de dezembro de 2021, em Salvador.

Já Kleber Rosa lançou pré-candidatura pelo PSOL. Incialmente, o partido tinha anunciado a yalorixá Bernadete Souza como pré-candidata, mas foi informado que ela não disputaria o governo.

Outro pré-candidato ao governo do estado é o professor Giovani Damico, do PCB.

‘Arranco madeira de sofá velho para cozinhar e ter o que comer’

Share Button

Por g1 Minas

Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

No quintal de casa, na Ocupação Vitória, em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a faxineira Eliane César, de 47 anos, usa pedaços de madeira de um sofá velho para cozinhar em um fogão a lenha improvisado. Essa é uma tentativa de economizar, já que, sem dinheiro, a família ficou sem gás de cozinha por um mês.

Um novo reajuste no preço do gás passa a valer nesta sexta-feira (11). O preço médio de venda do GLP da Petrobras para as distribuidoras foi reajustado em 16,1%, e passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg, equivalente a R$ 58,21 por 13kg.

O botijão de 13 kg custaatualmente no país, em média, R$ 102,64, segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“A situação é muito difícil, às vezes falta comida. Esta semana consegui um óleo com a irmã da igreja. Este mês, meu marido fez um ‘bico’ e conseguimos comprar o gás por R$ 110. Mas mês passado não teve como, fiquei um mês sem gás. Arranco madeira de sofá velho para cozinhar e ter o que comer”, desabafou.

Eliane mora com o marido, três filhos e um neto de 3 anos em uma casa com um quarto, uma cozinha e um banheiro.

Duas das filhas e a criança dormem em uma beliche na cozinha. A renda familiar vem de um benefício do filho dela que tem autismo e também do Programa Bolsa Família.

“Agora com esse novo aumento fica cada vez pior para quem é mais humilde, como que eu vou conseguir construir pagando mais de R$ 100 em um gás? Às vezes fico no meu canto, choro. O jeito vai ser preparar as madeiras mais uma vez e deixar de prontidão”, afirmou.

Morre homem que recebeu transplante inédito de coração de porco nos EUA

Share Button

Por g1

David Bennett posa com o cirurgião Bartley P. Griffith antes de sua cirurgia | Foto: University of Maryland School of Medicine (UMSOM)/Handout via Reuters

David Bennett, de 57 anos, primeiro homem a receber em um transplante um coração de porco geneticamente modificado, morreu na terça-feira (9). A cirurgia havia sido feita em janeiro deste ano, no Centro Médico da Universidade de Maryland, em Baltimore, nos Estados Unidos.

“Era morrer ou fazer esse transplante. Eu quero viver. Eu sei que é um tiro no escuro, mas é minha última opção”, declarou Bennett um dia antes da operação. O paciente passou os meses anteriores ao procedimento na cama e ligado a uma máquina de suporte à vida.

À época, a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) americana, similar à Anvisa no Brasil, concedeu uma autorização de emergência para a cirurgia na véspera de Ano Novo — uma última chance para um paciente que não estava apto para um transplante convencional.

“Esta foi uma cirurgia revolucionária e nos deixa um passo mais perto de resolver a crise de escassez de órgãos”, disse Bartley Griffith, que transplantou o coração do porco.

Ligações de telemarketing terão que começar com o número 0303 a partir de quinta-feira (10)

Share Button

Por g1

Foto: Freepik

Vai ficar mais fácil para o consumidor identificar e bloquear as insistentes chamadas de telemarketing: a partir desta quinta-feira (10), entra em vigor a regra da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que obriga esse tipo de chamada a ser identificado pelo código 0303, que aparecerá no início do número de qualquer ligação que vise ofertar produtos ou serviços.

Por enquanto, a regra vale apenas para chamadas originadas de números de telefone celular. Para aqueles feitos de linhas fixas, a medida vai valer a partir de junho.

Resumo

Chamadas de telemarketing originadas da rede celular devem começar com o número 0303;

A partir de junho, regra começa a valer para rede fixa;

Número será de uso exclusivo e obrigatório para atividades de telemarketing ativo;

Empresas que solicitam doação e que fazem cobrança não precisarão fazer uso do código;

Identificação terá que aparecer de forma clara no visor do telefone;

Consumidores poderão pedir às operadoras o bloqueio das chamadas de telemarketing.

Facilitar identificação

O identificador foi aprovado pela Anatel no final do ano passado, por meio Ato nº 10.413. O objetivo da padronização, diz a agência, é facilitar a identificação das chamadas de telemarketing ativo.

Telemarketing ativo é a prática de oferta de produtos ou serviços por meio de ligações ou mensagens telefônicas, previamente gravadas ou não. Empresas que solicitam doação e que fazem cobrança foram consideradas exceções e não precisarão fazer uso do código.

O código 0303 será de uso exclusivo e obrigatório para atividades de telemarketing ativo, e as operadoras de telefonia fixa e móvel têm de permitir a identificação desse número de forma clara, no visor do aparelho do usuário. As operadoras também ficarão responsáveis por coibir o uso do código fora das regras estabelecidas pela agência.

Além disso, segundo a Anatel, as operadoras deverão realizar o bloqueio preventivo de chamadas originadas de telemarketing ativo a pedido do consumidor.

Dois operários morrem em explosão durante visita de Moro à fabrica no Paraná

Share Button

Foto: Reprodução/g1/Arquivo

Dois trabalhadores morreram em uma explosão em uma fábrica da Cooperativa Agroindustrial de Maringá, no interior do Paraná, nesta sexta-feira (4). Na ocasião, o local era visitado pelo ex-juiz e ex-ministro do governo Bolsonaro, Sérgio Moro (Podemos).

Segundo a coluna de Bela Megale, em O Globo, Moro discursava na sede administrativa da unidade fabril quando um tanque de fluidos de diesel explodiu, vitimando os operários. Ainda segundo a coluna, estava previsto que Moro passaria pelo mesmo tanque durante a visita, mas com o ocorrido, toda a programação foi cancelada.

Assim que soube do caso, o ex-juiz, que era acompanhado pelo senador Álvaro Dias (Podemos) e do ex-ministro Xico Graziano, lamentou o fato.

Cotada para vice de Bolsonaro, Tereza Cristina vai para o PP e diz que disputará Senado

Share Button

Foto: Isac Nóbrega/PR

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse ao blog da jornalista Andréia Sadi nesta quinta-feira (3) que pediu desfiliação do União Brasil e vai migrar para o PP. O partido quer oficializar a filiação em 20 de março.

Tereza Cristina se filiou ao DEM em dezembro de 2017, partido que se fundiu ao PSL em outubro de 2021 e se transformou no União Brasil.

A ministra, que é cotada para ser vice na chapa de Jair Bolsonaro, afirmou que pretende se candidatar ao Senado. “Com certeza do Mato Grosso do Sul”, detalhou ao blog.

Além dos próximos passos para as eleições deste ano, a ministra também está acompanhando os desdobramentos da guerra na Ucrânia e seu impacto na agricultura brasileira.

Isso porque o Brasil, que é um grande fornecedor de grãos para o mundo, tem dificuldades para fabricar os insumos necessários para manter a alta produtividade, como os fertilizantes. Cerca de 70% da matéria-prima dos fertilizantes usados nos plantios vêm do exterior. Da Rússia, são 23%.

Homem de 55 anos descobre que tem um irmão de 54 ao assistir entrevista dele em reportagem de TV

Share Button

Por g1

O encontro dos irmãos Edward e Randy Waites | Foto: Arquivo pessoal / Família Waites

Dois irmãos de 55 e 54 anos se encontraram pela primeira vez graças a uma entrevista de 4 segundos sobre o tempo em uma reportagem de TV na Califórnia, nos EUA.

Randy Waites, de 55 anos, estava assistindo a um jornal da emissora KCRA em dezembro de 2021 quando viu um homem com o mesmo sobrenome dele e a aparência física que lembrava seu falecido pai.

Edward Waites, de 54, tinha viajado para o Lago Tahoe, onde estava acontecendo uma tempestade de neve. Ele foi entrevistado pela KCRA em uma reportagem sobre o tempo. Foi este trecho de 4 segundos de entrevista que o irmão viu.

Randy, que vive na cidade de Lodi, na Califórnia, conta ao jornal “The Washington Post” que pausou o programa quando viu o sobrenome de Edward. Ele ficou pensando se haveria alguma conexão familiar.

Sua filha, Cambria, concordou que eles eram parecidos, e começou a procurar informações sobre Edward na internet. Ela não só o encontrou como viu que eles tinham o mesmo pai, Donald E. Waites.

“Tive que recolher meu queixo do chão”, disse Randy ao “Washington Post”.

O pai de Randy o abandonou logo após seu nascimento. Ele nunca mais teve notícias de Donald. Logo depois ele formou outra família, na qual nasceu Edward – que não foi largado e recebeu a atenção do pai até a morte dele, em 2009.

Os dois, ambos abismado por terem descoberto a relação após 50 anos, conseguiram se reencontrar em janeiro.

“Eu sempre quis um irmão”, disse Edward ao jornal. A conexão, segundo ele, foi instantânea. “Foi tão natural, eu sinto que o conheço por toda a minha vida”.

Os dois descobriram que compartilham o amor por pesca e motocicletas Harley-Davidson.

Senado adia mais uma vez a votação do pacote de projetos de combustíveis

Share Button

Por Estadão Conteúdo

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária semipresencial | Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O Senado decidiu adiar a votação do pacote de projetos relacionados ao preço dos combustíveis. Não houve acordo para a aprovação das propostas. A votação ficou para o dia 8 de março.

O pacote inclui mudanças na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), proposta que enfrenta resistência dos governadores, e a criação de uma conta de estabilização de preços, medida rejeitada pela equipe econômica do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Parte dos senadores questionou a efetividade do projeto, pois, no fim das contas, a definição das alíquotas do ICMS caberá aos governadores. Além disso, houve falta de disposição para aprovar a redução de tributos federais sobre o diesel e o gás de cozinha, medida defendida pela equipe econômica de Bolsonaro.

O projeto do ICMS altera o modelo de cobrança do imposto arrecadado pelos Estados. O texto estabelece que os Estados cobrem o ICMS com um valor porcentual sobre o litro de combustível, e não mais sobre o preço final do produto. A proposta, no entanto, mantém a autonomia para cada Estado definir a alíquota.

Governadores pressionam o Senado a enterrar a proposta. Nos bastidores, há quem diga que os projetos não serão aprovados, nem mesmo em março, sob a avaliação que os ruídos são maiores do que eventual benefício para os consumidores.

Houve relatos de que chefes de Executivos estaduais procuraram os senadores durante a sessão pedindo o adiamento da votação. Os Estados apontam perda de arrecadação com a mudança proposta pelo projeto e não querem abrir mão de receitas com o ICMS.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), defendeu a aprovação da proposta. Ele argumentou que não é justo os Estados terem aumento de arrecadação com a alta atual do preço dos combustíveis e que o Senado precisa dar uma resposta à sociedade.

“Não podemos nos render a pressões externas em razão daquilo que estamos estabelecendo hoje, que interessa ao consumidor brasileiro”, disse o senador, afirmando que a proposta não “sacrifica” Estados.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia