WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio




Laboratório Checap

Drogaria Santana

Adrivana Cunha Hospital de Olhos


:: ‘Destaque2’

Exemplo para próxima geração: queniana de 99 anos volta à escola e sonha em se tornar médica

Share Button

Por Reuters

Sitienei ao lado dos colegas de classe no Quênia | Foto: Reprodução/Monicah Mwangi

Em uma sala de aula de pedra em Rift Valley, na zona rural do Quênia, Priscilla Sitienei, que completou 99 anos na sexta-feira (11), faz anotações ao lado de colegas que são mais de oito décadas mais jovens que ela.

De vestido cinza e suéter verde que compõem o uniforme escolar, Sitienei disse que voltou às aulas para dar um bom exemplo aos bisnetos e seguir uma nova carreira.

“Gostaria de me tornar médica, porque eu costumava ser parteira”, disse ela à Reuters, acrescentando que seus filhos apoiaram a decisão.

Em 2003, o governo queniano começou a subsidiar o custo do ensino primário, permitindo que alguns membros mais velhos da sociedade que perderam a oportunidade de receber educação durante a juventude revivessem seus sonhos.

Foto: Reuters/Monicah Mwangi

A ação levou alguns dos alunos mais velhos ao estrelato, incluindo Sitienei, que viajou a Paris no ano passado para o lançamento de um filme sobre sua jornada intitulado “Gogo”, que significa avó em sua língua nativa Kalenjin. Ela também irá a Nova York em breve para o lançamento do filme.

Segundo ela, a ideia de voltar aos estudos veio quando sua bisneta abandonou a escola após engravidar. “Perguntei brincando se ela tinha algum saldo de mensalidade na escola e ela disse que sim, então disse a ela que usaria para começar a escola.”

Sitienei disse que esperava que sua bisneta retomasse os estudos, mas quando a jovem se recusou, decidiu ir à escola ela mesma.

Moro diz que ‘muita coisa’ sobre governo Bolsonaro vai aparecer se as instituições tiverem autonomia

Share Button

Por g1 SP

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro (Podemos), pré-candidato à Presidência da República, afirmou nesta segunda-feira (14) que se as instituições do país tiverem autonomia “muita coisa vai aparecer”, se referindo a possíveis casos de corrupção no governo Bolsonaro.

A declaração foi dada no início da tarde desta segunda durante entrevista ao programa “Pânico”, da Jovem Pan.

“Agora, a gente tem um governo que trouxe do lado dele gente envolvida em escândalo de corrupção do passado. Políticos fisiológicos, o ‘Centrão’, tem até o presidente do partido onde vai concorrer o Bolsonaro, o Valdemar da Costa Neto, que estava do lado do Lula, condenado no ‘Mensalão’. Então assim, não tem esquema de corrupção? Quem está investigando? Quem está olhando isso, o PGR [Procurador Geral da República]? A Polícia Federal, alguém está vendo isso? Tenho certeza que se a gente retomar, dar autonomia para as instituições, como a gente pretende fazer, muita coisa vai aparecer”, afirmou Moro.

O ex-ministro falou também sobre a corrida eleitoral, e disse que “a única razão” de o ex-presidente Lula (PT) estar à frente nas pesquisas é porque as pessoas “querem se livrar do Bolsonaro”.

“O Bolsonaro faria um favor para o país se pegasse o boné e fosse para casa, porque ele está elegendo o Lula”, disse Moro.
‘Destruição’ da Lava Jato
Questionado porque mudou de ideia em relação a ser candidato a presidente – o que chegou a negar quando era ministro de Bolsonaro – Moro disse que achava que conseguiria “mudar o rumo do Brasil, em relação a ter um governo honesto, a ter pessoas mais íntegras, a ter um combate à corrupção”.

“A gente imaginava que a gente teria iniciado um período diferente, mas acho que todo mundo se decepcionou muito com a realidade atual e assim, vamos ser bastante francos, o governo atual, juntamente com parte do Congresso e com parte do Supremo Tribunal Federal, eles destruíram a Lava Jato”.

O ex-ministro também afirmou que se o presidente Bolsonaro quisesse combater a corrupção, ele não teria interferido na PF, teria nomeado um PGR a favor da Lava Jato, teria se posicionado a favor da prisão em 2ª instância e não teria vetado trechos do projeto anticrime.

“Eu fui sabotado pelo presidente da república Jair Bolsonaro e também, não foi só ele, mas ele contribuiu pra esse ambiente de reação contra o combate à corrupção”, afirmou Moro.

Lula e Bolsonaro

Sobre a disputa entre Lula e Bolsonaro, Moro disse que “não tem como comparar quem é pior”. Ele não acredita em segundo turno entre os dois. “Não vamos correr esse risco de segundo turno com Lula e Bolsonaro, o brasileiro não tem vocação para o suicídio”.

Regulação da mídia

Moro falou também que Lula e Bolsonaro “não são exatamente amantes da liberdade de imprensa”, e citou a proposta de Lula de regulação da mídia.

“Eu sou totalmente contra censura, controle, xingar jornalistas, xingar mulheres jornalistas que é a predileção infelizmente do Bolsonaro. Se o Lula ganhar vocês vão ganhar novos companheiros aqui escolhidos pelo estado”.

Isolado há 14 meses, homem testa positivo para Covid por 78 dias seguidos

Share Button

Foto: Pixabay

O turco Muzaffer Kayasan, de 56 anos, passou por uma experiência um tanto quanto indesejada. Com leucemia e sem poder tomar a vacina contra a Covid-19, ele testou positivo para a doença pela primeira vez em 2020 e continuou recebendo resultado que apontava a presença do vírus por 78 dias seguidos. De acordo com o jornal The Sun, Muzaffer está isolado há 14 meses, e não pode ter contato com a esposa ou com os filhos. Ele não teve quadro grave da doença, mas passou nove meses no hospital por conta da Covid-19. “Acho que estou mais exposto ao vírus. Até um gato passando pela janela pode me infectar. Eu me recuperei, mas ainda tenho partes do coronavírus no meu corpo, essa é a única explicação que me deram para os testes positivos”, contou em entrevista ao The Sun. De acordo com a publicação, ele está bem e diz que, no momento, o único problema é não poder encostar em sua família.

Roma dispara contra ACM Neto e diz que ex-aliado ‘exerce uma anti liderança na Bahia’

Share Button

Por Bahia Notícias

Foto: Alan Santos/PR

O ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), subiu o tom ao falar de seu ex-aliado e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (União Brasil), na manhã desta segunda-feira (14). Para Roma, Neto exerce uma “anti liderança” ao tentar se dissociar da eleição nacional.

“Ele diz que só se preocupa com as eleições da Bahia. Na verdade, não. Ele se preocupa com a posição dele. Cogita até a votar em Lula. O eleitor que vai para as ruas de verde e amarelo não quer votar em quem quer votar no PT. Aprendi isso na política, mais do que ser uma bússola, às vezes é preciso ser uma anti bússola. É preciso saber onde quer ir e também aonde não se quer ir e com quem não quer se ter perto”, disse o ministro em entrevista à Rádio Metropole.

Durante a conversa, Roma também foi questionado sobre o rompimento com ACM Neto e comentou a possibilidade de uma reaproximação entre os dois ao dizer que o ex-aliado político tem posturas que já deveriam ter sido banidas.

“Ele entregou a prefeitura, mas continua lá como uma eminência parda, atrapalhando até a gestão do prefeito eleito. Vive lá coagindo pessoas para benefício próprio. Não gosto desse tipo de postura”, acrescentou.

Músico morre após receber descarga elétrica de guitarra

Share Button

Foto: Divulgação/HGR Produtora

O músico Luyan Lopes de Aguiar, de 24 anos, morreu na noite do último sábado (12), após receber uma descarga elétrica da guitarra que tocava durante a passagem de som para um show em São Borja, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. De acordo com informações da banda ao g1, o jovem, vocalista do Grupo Pankda da Vaneira, chegou a mexer no instrumento por duas vezes antes de receber a descarga elétrica. Na terceira e fatídica vez, o artista levou o choque e ainda gritou pedindo ajuda. Os músicos desligaram a rede elétrica e um outro membro da equipe tentou tirar o instrumento da mão dele, mas acabou levando um choque também. Os colegas de banda ainda tentaram reanimar Luyan, mas não tiveram sucesso. Equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu também realizaram procedimentos de reanimação, mas o jovem acabou falecendo no local. As causas da morte serão confirmadas pela perícia e o local onde o artista morreu será vistoriado.

Com bens bloqueados pela Justiça, Palocci vive de doações, diz amigo

Share Button

Foto: Renato Araújo/Agência Brasil

O ex-ministro Antônio Palocci estaria vivendo de doações, segundo o relato de um amigo para a coluna Radar, da revista Veja. Ele está com os bens bloqueados, como consequência da Operação Lava Jato.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, rejeitou o pedido de Palocci de desbloqueio dos bens, semelhante à liberação que teve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em suas contas. De acordo com o magistrado, os casos são diferentes.

Palocci foi ministro da Fazenda no primeiro governo Lula e chefe da Casa Civil no primeiro mandato de Dilma Rousseff (PT), mas acabou deixando as gestões petistas após denúncias de corrupção.

Ministro André Mendonça nega pedido para se declarar suspeito em notícia-crime contra Bolsonaro

Share Button

Foto: Isac Nóbrega/PR

O ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou no sábado (12) um pedido elaborado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) para que ele se declarasse suspeito para analisar uma notícia-crime apresentada na Corte contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por prevaricação e advocacia administrativa, crime que ocorre quando um funcionário público usa o cargo para defender interesses privados. As informações são do portal G1.

A notícia-crime contra Bolsonaro foi apresentada pelo partido Rede Sustentabilidade. O pedido alega que o presidente deveria ser investigado por ter afirmado, em 2020, que mandou “ripar” servidores do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) após receber a informação de que o órgão paralisou uma obra do empresário bolsonarista Luciano Hang.

Em dezembro, Mendonça foi sorteado para ser o relator do caso no Supremo e o senador Randolfe Rodrigues pediu que o ministro se declarasse voluntariamente suspeito para atuar no caso ou que enviasse o pedido à presidência da Corte para analisar a relatoria. Segundo o senador, Mendonça é amigo do presidente, por isso, não está apto a ser relator do pedido.

Em sua decisão, Mendonça afirmou que não reconhece a presença, no caso concreto, de quaisquer das hipóteses legais de suspeição do magistrado. O ministro disse ainda que pedidos de suspeição devem ser encaminhados diretamente ao presidente do STF, conforme regimento interno.

Mendonça também encaminhou a notícia-crime à Procuradoria-Geral da República (PGR), para que avalie se há elementos para investigação. Essa determinação é a praxe em relação às notícias-crime que chegam à Corte.

Mourão diz que concorrerá ao Senado no Rio Grande do Sul

Share Button

Por g1

Foto: Bruno Batista /VPR

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta sexta-feira (11) que decidiu disputar uma vaga ao Senado pelo estado do Rio Grande do Sul nas eleições deste ano.

Com a decisão, o general da reserva do Exército não estará na chapa de reeleição do presidente Jair Bolsonaro. Mourão foi eleito como vice de Bolsonaro na eleição de 2018.

Ao longo de três anos de governo, a relação entre os dois foi marcada por críticas de Bolsonaro, que, entre outras discordâncias, considera que o vice fala demais nas entrevistas. O presidente chegou a dizer que Mourão “por vezes atrapalha”, mas “tem que aturar”. Por outro lado, Bolsonaro confiou a Mourão o comando do Conselho Nacional da Amazônia.

Bolsonaro ainda não definiu quem será o seu vice na campanha de reeleição. Um dos nomes cotados é o do atual ministro da Defesa, o também general Walter Braga Netto. Há uma articulação para que o presidente opte por um nome político, como a atual ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que está licenciada do mandato de deputada federal.

Mourão, que se elegeu filiado ao PRTB, informou que avalia por qual partido vai disputar a eleição. O vice pretende apoiar um dos dois pré-candidatos ao governo gaúcho que atualmente estão na base de Bolsonaro – o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni (União Brasil), e o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS).

Médico morre ao cair de prédio em Salvador para fugir de incêndio

Share Button

Por g1 BA e TV Bahia

Foto: Maria da Conceição Marinho

Um homem morreu depois de cair do terceiro andar de um prédio residencial no bairro da Barra, em Salvador, para escapar de um incêndio. O caso ocorreu na madrugada desta sexta-feira (11). As chamas iniciaram por volta das 2h30, no segundo andar, e rapidamente se alastraram até os pavimentos superiores. O edifício fica localizado na Rua Presidente Kennedy.

A vítima foi identificada como Bruno Rafael Matos Coelho, de 32 anos. Ele era natural do estado de Piauí e atuava como médico residente na capital baiana. Segundo testemunhas, Bruno dormia no terceiro andar quando o incêndio atingiu o prédio e não percebeu o surgimento das chamas. Ele foi acordado por vizinhos e, no desespero para escapar do fogo, tentou sair do apartamento e caiu na área da garagem do edifício.

Um morador, que preferiu não ser identificado, presenciou a ação disse que ficou em choque com o que viu. “Os outros moradores começaram a sair e ele, na certa, estava dormindo e não conseguiu. Quando ele saiu, tentou pular de um apartamento para outro, mas não deu. Foi uma coisa muito rápida. Ele pediu socorro, perguntando o que fazer, se desequilibrou e caiu. Foi uma cena muito triste”, comentou o homem.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, outras três pessoas ficaram feridas. Elas foram socorridas com queimaduras intensas e levadas para o Hospital Português, que também fica na Barra. Não há informações se elas estavam no imóvel que pegou fogo ou em outros apartamentos, nem detalhes sobre o estado de saúde delas.

Segundo o delegado responsável pelas investigações do caso, Pedro Andrade, o incêndio pode ter começado após um curto-circuito em um aparelho de ar-condicionado, o que será confirmado somente após a perícia.

Agentes da Polícia Civil também estiveram no local para fazer a perícia e a remoção do corpo da vítima. A Defesa Civil de Salvador (Codesal) deve fazer uma vistoria ainda nesta sexta-feira no apartamento que pegou fogo. O órgão vai avaliar se o imóvel foi comprometido e se as chamas prejudicaram também a estrutura do edifício. O caso será investigado pela 14ª Delegacia Territorial, no bairro da Barra.

Queiroga diz que 3ª dose da vacina é o que ‘vai fazer a diferença’ contra a Covid-19

Share Button

Por Folhapress

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu nesta quinta-feira (10) que a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 é o que “vai fazer a diferença” contra a pandemia no Brasil e que é preciso ampliar a cobertura da população com a terceira aplicação.

A afirmação foi feita pelo ministro em entrevista a jornalistas. Queiroga também pediu que não ocorra “ansiedade” para a aplicação da quarta dose.

“Essa ansiedade em querer aplicar a quarta dose sem evidência científica também não ajuda no enfrentamento à pandemia. É fundamental avançarmos na dose de reforço (terceira dose). Tenho dito e reitero”, afirmou.

Na quarta-feira (9), o ministro já havia criticado o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), após o tucano dizer que o estado vai adotar a aplicação da quarta dose da vacina, mesmo sem aval do Ministério da Saúde.

Na ocasião, Queiroga indagou sobre a viabilidade da ação. “Se cada um quiser seguir de uma forma, o que vai acontecer? Quem é que tem a responsabilidade de garantir as doses? Há uma logística de distribuição das doses”, disse.

Ainda na quarta, logo após o anúncio pela manhã, porém, Doria fez uma pontuação sobre o tema da quarta dose, dizendo que ela não será “aplicada imediatamente”. “O fato de considerar não quer dizer que se vai aplicar”, afirmou

Retomando o assunto na manhã desta quinta, Queiroga disse que, “quando houver evidência científica suficiente para que a quarta dose seja aplicada na população acima de 18 anos, o grupo técnico [do Ministério da Saúde] vai orientar”.

“Quando se faz algo em dissonância com o que o Ministério da Saúde recomenda, nós não temos compromisso de entregar doses”, pontuou, afirmando que a pasta “não tem o intuito” de tomar uma posição contrária ao que for decidido pelo grupo técnico.

80,2% da população brasileira já recebeu ao menos uma dose da vacina contra a covid-19, segundo dados atualizados na quarta-feira pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. 70,6%, duas doses. E 24,9%, a dose de reforço (três aplicações).

QUARTA DOSE

Na quarta-feira, o Ministério da Saúde passou a recomendar a aplicação de uma quarta dose da vacina para pessoas com quadro de imunossupressão -como aquelas que estão realizando quimioterapia ou vivem com HIV/Aids — que tenham 12 anos ou mais.

Antes, o ministério recomendava, desde dezembro do ano passado, a aplicação da quarta dose apenas para pessoas com quadro imunossupressão que tivessem 18 anos ou mais.

“É um grupo (pessoas com quadro imunossupressão que tenham 12 anos ou mais) muito reduzido, não tem um impacto tão grande em relação ao desfecho da pandemia”, afirmou Queiroga na manhã desta quinta.

No mundo, em janeiro deste ano, Israel começou a aplicar a quarta dose da vacina para pessoas acima de 60 anos. Já na última segunda-feira (7), o Chile começou a adotar a ação para quem tem 55 anos ou mais.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia