WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio




Laboratório Checap

Império Store

Drogaria Santana

:: ‘Notícias’

Novo prefeito e vice de Santaluz são empossados

Share Button
Prefeito Arismário ao lado do vice Bino | Foto: Reprodução

Prefeito Arismário ao lado do vice Bino | Foto: Reprodução

O novo prefeito de Santaluz, Arismário Barbosa Júnior (Avante), e o seu vice, José Albino dos Santos Filho (MDB), tomaram posse nesta sexta-feira (1º), em cerimônia realizada no auditório Lindaura Carneiro Araújo.

Mais cedo, no plenário da Câmara Municipal, os 13 vereadores eleitos em novembro do ano passado assumiram os cargos para a legislatura 2021-2024 (ver mais).

Formado em medicina pela Universidade Federal da Bahia, Arismário nasceu em 06 de novembro de 1985, na cidade baiana de Campo Formoso, no norte do estado.

Estreante na política, ele venceu a disputa contra a então prefeita e candidata à reeleição Quitéria Carneiro (PSD), representante do grupo que governou o município nos últimos 16 anos. O médico obteve 13.644 votos (54,59%), uma diferença de 2.365 votos em relação à pessedista, que obteve 11.279 votos (45,13%). Jorge França (DC) terminou a eleição em terceiro lugar, com 71 votos (0,28%).

Arismário e Bino ao lado do ex-vice-prefeito Marcinho da LN e do ex-prefeito e agora secretário de Infraestrutura, Joélcio Martins | Foto: Reprodução

Arismário e Bino ao lado do ex-vice-prefeito Marcinho da LN e do ex-prefeito e agora secretário de Infraestrutura, Joélcio Martins | Foto: Reprodução

Durante a solenidade, foram apresentados nomes que vão compor o primeiro escalão do governo municipal. São eles:

Leonardo Santos Souza | Secretaria de Administração;

Reinaldo Júnior | Secretaria de Finanças;

Nilzene Pereira | Secretaria de Educação;

Elisângela Pires | Secretaria de Saúde;

José Haílton Carneiro | Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração;

Joseane Santos Lopes – Secretaria de Assistência Social;

Natanael Lima da Cruz – Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer;

Joélcio Martins da Silva – Secretaria de Infraestrutura;

Admael Barbosa – Gabinete do Prefeito;

Wellington Guimarães – Superintendência Municipal de Trânsito e Tráfego;

Alexsandro Carneiro de Araújo – Chefe de Frota, Manutenção e Equipamentos Pesados;

Ilka Lopes – Procuradoria Jurídica;

Notícias de Santaluz

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

‘Não tem mais leito, não tem mais UTI, não tem mais corredor’: o desabafo de um médico de Manaus

Share Button

Por G1

Foto: Bruno Kelly/Reuters

Foto: Bruno Kelly/Reuters

“Em questão de 48h, 72h, esgotamos os leitos da rede particular de UTI, de enfermaria, e de internação. A gente está se virando como pode para receber os pacientes com Covid. (…) Muitos, muitos casos novos. E que infelizmente estão evoluindo para uma necessidade ventilatória mais avançada. É devastador não ter material suficiente, não ter leito para esse pessoal esperar (…)”.

É desse jeito que começa o desabafo do médico Filipe Shimizu enviado ao G1. Nas redes sociais, um vídeo em que ele também aparece relatando a situação da pandemia no Amazonas neste fim de ano viralizou.

Com aumento de casos e internações por Covid, familiares de pacientes e funcionários também relatam a lotação e o clima tenso nas unidades. Até esta segunda (28), mais de 5,1 mil pessoas haviam morrido com a Covid, e mais de 600 encontravam-se internadas.

Filipe Shimizu é clínico geral e trabalha na linha de frente da pandemia do coronavírus. No vídeo, ele fala sobre o aumento no número de internações e óbitos, e narra as dificuldades vividas pela classe médica.

Em cinco minutos de desabafo, Filipe chega a se emocionar em alguns momentos e pede para que a população fique em casa, a fim de evitar uma piora no quadro da pandemia na cidade.

“Todos os colegas que eu tenho conversando estão extremamente extenuados. A impressão que dá é que é tão grande, tão forte quanto o começo da pandemia, lá em abril, maio, quando a gente tinha uma super lotação dos hospitais, e agora tá acontecendo tudo de novo”, relatou.

O médico compartilhou, ainda, alguns relatos de casos vividos durante esse período. Segundo ele, não existem palavras para descrever a tristeza de olhar para uma paciente e dizer se ela vai ou não acordar da entubação ou dar uma notícia de óbito para uma família.

“Tem que ter a cabeça muito no lugar. Mas mesmo com a cabeça no lugar e com toda tranquilidade, é muito difícil. Tá sendo muito desgastante físico e emocionalmente tudo. Fisicamente porque chega um paciente e a gente tem que preparar para a entubação, às vezes para a ressuscitação cardio-pulmonar, e cansa demais isso. Cansa demais. E mentalmente porque a gente não tem a certeza de como esse paciente vai se adaptar ao ventilador, de como o paciente vai responder às medicações para controle da pressão […]”.

Filipe também explicou que, com o agravamento da Covid-19 nos hospitais, criou-se um clima de hostilidade com a classe médica frente à demora nos atendimentos.

“A gente tá dando mais do que a gente pode, de verdade, na questão da celeridade e qualidade nos atendimentos. Mas não tem como comportar tanta gente de uma vez só. Não está dando para atender todo mundo de maneira rápida. A gente, infelizmente, deve perder muito mais gente agora. Cada morte é sentida pela equipe médica, tanto quanto pela família, tenham certeza disso. A gente se sente muito responsável pelas vidas que a gente toca. É muito complicado quando a gente perde alguém”.
Por fim, o médico fez um apelo para que as pessoas fiquem em casa e só saiam para o extremo necessário. Ele também disse temer os reflexos da pandemia no futuro.

“Fiquem em casa, pelo amor de Deus. Só saiam para o extremamente necessário. […] A Covid tá voltando com tudo, numa velocidade assustadora e eu tenho medo do futuro, dos reflexos da pandemia, do que ela pode gerar de resistência bacteriana, de bactérias resistentes a alguns antibióticos prescritos de maneira equivocada por colegas médicos, tomados de maneira equivocada pelas pessoas. Enfim, a única forma de combater isso é permanecer em casa, se cuidando, principalmente cuidando dos outros. Não tem mais leito, não tem mais UTI, não tem mais corredor”, concluiu.

Foto: Divulgação/Simeam

Foto: Divulgação/Simeam

Aumento de casos

O número de pessoas vítimas da Covid-19 não para de crescer no estado. Na segunda-feira (28), o Amazonas registrou mais de 196 mil casos da doença e mais de 5 mil mortes.

Segundo a Prefeitura de Manaus, a média de enterros aumentou de setembro para cá, com a flexibilização das medidas de isolamento: de 30 pulou para cerca de 45 sepultamentos diários.

Mesmo com o aumento das vítimas, o governo do estado publicou um decreto que autoriza a reabertura do comércio não essencial. A decisão foi tomada depois de uma onda de protestos contra o fechamento de lojas durante o fim de semana.

Segundo o governo, dos 11 hospitais particulares da capital, sete estão com 100% dos leitos de UTI ocupados. Já os hospitais públicos estão com mais de 90% de taxa de ocupação de leitos.

No domingo (27), houve o registro de 95 novas hospitalizações em um único dia no estado. Em Manaus foram 88. Esse é o maior número de internações em um único dia desde o dia 15 de maio, quando foram registradas 82 hospitalizações.

Nesta terça-feira (29), dois hospitais de Manaus voltaram a montar tendas externas para triagem de pacientes. O objetivo das estruturas montadas nos prontos-socorros 28 de Agosto e Platão Araújo é melhorar o fluxo e agilizar o atendimento nos casos de urgência. Essas tendas já tinham sido usadas em unidades de saúde da capital amazonense no pico da pandemia, em abril e maio, quando o estado passou por colapsos nos sistemas de saúde e funerário.

Mais de 80% da população deve ser vacinada para combater circulação do coronavírus, afirma infectologista

Share Button
A médica infectologista Ceuci Nunes, diretora-geral do Instituto Couto Maia | Foto: Carol Garcia/GOVBA

A médica infectologista Ceuci Nunes, diretora-geral do Instituto Couto Maia | Foto: Carol Garcia/GOVBA

Em entrevista disponibilizada nesta quarta-feira (23) pela assessoria de imprensa do Governo da Bahia, a médica infectologista Ceuci Nunes, que é diretora-geral do Instituto Couto Maia (Icom), um dos primeiros hospitais do estado a receber pacientes de Covid-19, fala sobre a importância da vacina contra a doença, especialmente diante do grande número de notícias falsas circulando nas redes sociais.

Segundo ela, o imunizante surge rapidamente impulsionado pela existência da pandemia, que uniu cientistas de todo o mundo na pesquisa em busca da cura, e também pelo estágio de desenvolvimento tecnológico que o planeta alcançou.

Para a infectologista, a rapidez na produção da vacina não coloca em xeque a segurança nem a eficácia do medicamento. Ceuci também destaca que, para que o vírus pare de circular, como foi a erradicação da varíola, é preciso que grande parte das pessoas seja imunizada – mais de 80% da população.

“Não vamos ter medo da vacina, a gente precisa ter medo da doença que está matando milhões de pessoas no mundo. A vacina é a luz no fim do túnel. A gente precisa é pedir ao Ministério da Saúde, aos governantes, que consigam vacinas, as mais diversas, para todos os brasileiros”, disse Ceuci.

Pelo menos cinco vacinas diferentes foram desenvolvidas em prazo inferior a um ano. Essa velocidade causa algum tipo de insegurança em relação à vacina e sua eficácia?

À primeira vista, a gente acha que é um tempo pequeno demais. A vacina mais rápida que existiu foi a vacina da Caxumba, que foi desenvolvida em quatro anos. Mas o que a gente está vivendo é um novo momento da humanidade. É um momento em que tudo tem sido mais rápido. E a Covid-19, por ser uma pandemia, ela também precisou que essa velocidade fosse trazida para as vacinas, mas não ao custo da segurança e da eficácia, porque vários testes foram feitos com milhares de pessoas ao redor do mundo, de cada uma dessas vacinas que estão sendo colocadas e aprovadas pelas agências reguladoras. Isso é uma coisa muito boa porque as agências são muito rígidas na aprovação de vacinas.

A vacina funciona da mesma forma para todas as faixas etárias?

A gente não tem certeza disso ainda. As vacinas não foram testadas em crianças. Elas foram feitas para adultos, porque são as principais e as mais graves vítimas da Covid-19. Mas é muito possível que elas também funcionem bem em crianças. As vacinas que a gente tem até agora são reguladas. Elas são aprovadas para maiores de 18 anos.

Quem tem alergia pode tomar essas vacinas?

Quem tem alergia grave, chamada de anafilaxia e conhecida popularmente como choque anafilático, pode tomar a vacina, mas em locais apropriados para que sejam assistidas e tratadas, em caso de reação alérgica. Um exemplo são as unidades hospitalares que têm um pronto-atendimento.

No caso de quem apresentou reação alérgica, essa pessoa ainda está imunizada?

A reação alérgica não impede a imunização da pessoa. A reação alérgica tem que ser tratada na hora. O que foi visto até agora são as reações alérgicas acontecendo em alguns casos e sendo tratadas. Não foi registrada nenhuma morte por reação alérgica. E isso não impede nenhum efeito da vacina.

Todas as vacinas necessitam de ultrarrefrigeradores como os que estão sendo adquiridos pela Bahia?

A maioria das vacinas de Covid está sendo desenvolvida para ser armazenada na mesma temperatura das outras vacinas, que é de dois a oito graus centígrados. Duas dessas vacinas, as vacinas de RNA, precisam ser armazenadas em freezers de -70 e -80 graus centígrados.

A Bahia tem preferência por alguma das vacinas que estão sendo desenvolvidas?

A Bahia tem já um acordo assinado com a Rússia, para a utilização da Sputnik. Mas qualquer vacina que o Ministério da Saúde vá adquirir será utilizada na população brasileira e nos baianos também.

Quais são as contraindicações das vacinas contra a Covid?

As contraindicações das vacinas são muito poucas. Por quê? Porque elas não são vacinas de organismos vivos, como a gente tem outras vacinas no Brasil, como a febre amarela, sarampo, que são contraindicadas em pessoas com imunodeficiência. As vacinas contra a Covid não, [pois] elas são de micro-organismos inativados ou partículas de micro-organismos. Então, as pessoas que têm alergia aos componentes da vacina é que vão precisar ter um maior cuidado para utilizá-la.

Recentemente, o Reino Unido identificou uma mutação do vírus. As vacinas desenvolvidas são eficazes mesmo com essa mutação?

Os dados preliminares mostram que, mesmo com essa nova cepa do coronavírus, as vacinas são eficazes e seguras. É claro que estudos ainda estão sendo implementados, mas tudo indica que não vai afetar a vacina.

Qual a importância da vacina para a imunização em massa, e não só do indivíduo? É importante que grande parte da sociedade seja imunizada?

Vacina não é uma questão individual. É uma questão de proteção individual, mas principalmente de proteção coletiva. Para que uma vacina seja eficaz, para que a vacina impeça mesmo um grande número de casos, é preciso que cerca de 80 a 85% da população esteja vacinada.

Qual a importância da vacina, ao longo da história, no controle das grandes pandemias?

As vacinas são importantíssimas no controle de doenças infecciosas, inclusive de pandemias. Por exemplo, a H1N1, que a gente conseguiu controlar. A H1N1 ainda existe entre nós, mas numa quantidade muito pequena de casos porque nós temos anualmente a vacina da gripe, que contém também a Influenza H1N1. Isso é super importante. Nós já conseguimos erradicar do mundo a varíola, erradicar da maior parte do mundo a poliomielite, eliminar de diversos lugares o sarampo, e alcançamos uma redução enorme da catapora. Então, a vacina é de uma importância imensa para a humanidade. Inclusive é um dos quatro fatores que implicaram na sobrevida da humanidade, que passou de 40 anos no início do século 20 para quase 80 anos agora.

Congresso dos EUA aprova novo pacote de ajuda de US$ 900 bi contra efeitos do novo coronavírus

Share Button
Foto: Reprodução/Pixabay

Foto: Reprodução/Pixabay

O Congresso dos Estados Unidos aprovou nesta segunda-feira (21) um novo pacote de ajuda de cerca de US$ 900 bilhões contra efeitos do novo coronavírus na economia. Além de pagamentos diretos à população vulnerável, a medida também traz auxílios a pequenos empresários e destinação de fundos para a distribuição de vacinas contra a Covid-19. Segundo o G1, o pacote é bem menor que o primeiro, de US$ 2,2 trilhões, aprovado em março, mas era esperado com ansiedade pelo mercado financeiro. Os agentes contavam com novas medidas de incentivo à economia depois de uma desaceleração da retomada nos últimos meses. Os EUA passam por uma forte onda de contágios e assistem novamente ao fechamento de comércios nos estados mais críticos. No dia 14, os EUA chegaram a 300 mil mortes pela doença.

Santaluz: jovem baleado próximo a cemitério morre após dar entrada em hospital

Share Button
Jefinho chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimentos | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Jefinho chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimentos | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Jeferson de Oliveira Santos, conhecido também como ‘Jefinho da JK’, morreu após ser baleado em Santaluz, região sisaleira da Bahia, na noite desta segunda-feira (21). O crime aconteceu por volta das 21h, nas imediações do cemitério da cidade. Populares contaram que ouviram disparos de arma de fogo e em seguida encontraram a vítima caída sangrando em um matagal, com marcas de tiro no abdômen e na cabeça. Jefinho foi socorrido e levado em uma ambulância para o hospital local, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 22h30. O corpo será encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Serrinha. Uma guarnição da Polícia Militar foi acionada e faz buscas pela região, mas ninguém foi preso até a última atualização desta matéria. Jefinho tinha passagens pela polícia pela Lei Maria da Penha e era suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas, conforme a polícia. O caso será investigado pela delegacia da cidade.

Notícias de Santaluz

Santaluz registra mais 10 curas e 25 novos casos positivos de Covid

Share Button
Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Dez curas clínicas de pacientes diagnosticados com Covid-19 foram registradas nesta segunda-feira (21) em Santaluz, chegando ao total de 758 pessoas recuperadas, segundo boletim divulgado pela secretaria de Saúde da cidade. Trata-se de quatro homens e seis mulheres, com idade entre 15 e 89 anos. Foram confirmados vinte e cinco novos casos da doença. Trata-se de dez pacientes do sexo masculino e quinze do sexo feminino, com idade entre 01 e 90 anos, residentes no centro da cidade (10), nos bairros Nova Esperança (3), Jardim Luzense (2), Jorge Vilas Boas (2), Loteamento Brasil (1), JK (1), Castro Alves (1), Manoel Lima (1), nos povoados Nova Campina (2) e Novo Horizonte (2). Com a atualização, o município passa a contabilizar 915 diagnósticos positivos de Covid-19 desde o começo da pandemia. A taxa de cura é de 82,84%. Há 144 casos ativos da doença e 115 suspeitas em investigação na cidade.

Notícias de Santaluz

Covid: Diretor de hospital de campanha alerta para colapso antes de festas de fim de ano em Feira de Santana

Share Button

Por Bahia Notícias

Foto: Acorda Cidade/Reprodução

Foto: Acorda Cidade/Reprodução

A proximidade das datas festivas de fim de ano acende um alerta para o Hospital de Campanha de Feira de Santana. Nesta segunda-feira (21), dos 18 leitos de UTI destinados a tratamento do novo coronavírus, 16 estão ocupados, taxa de 88,8% de ocupação. Segundo o diretor técnico do hospital, Francisco Mota, é provável que até o final desta mesma segunda já não haja vagas na unidade. Assim como no pós-São João, o pós-Natal e pós-Ano Novo podem colapsar o sistema de saúde.

“O pico dos casos de São João foi depois de cerca de 15 dias. Na ocasião, a gente esteve perto da saturação completa. Isso pode acontecer agora. Porque, veja só, nós já estamos começando a semana com quase todas os leitos ocupados”, disse ao Bahia Notícias. Mota lembra que os casos de internações na UTI levem em média de 15 a 20 dias. Como não houve aumento de leitos, a situação já trouxe baixas. No fim de semana passado, dois pacientes com Covid-19 morreram porque não havia vagas disponíveis.

O diretor do hospital fez um apelo para a não realização de aglomerações nos próximos dias. “A população precisa evitar essas confraternizações. Essas coisas não cabem agora”, afirmou. Neste domingo (20), Feira de Santana registrou mais 285 casos de Covid-19, o que elevou o número total de registros para 18.686, com 323 mortes provocadas.

Bahia registra 3.920 casos da Covid-19 em 24h; taxa de ocupação na UTI é de 75%

Share Button

Por G1 BA

Foto: Elói Corrêa/Governo da Bahia

Foto: Elói Corrêa/Governo da Bahia

A Bahia registrou 3.920 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h, segundo dados divulgados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), na tarde deste sábado (19).

De acordo com a secretaria, a taxa de crescimento no número de casos foi 0,8% e a de recuperados 0,9%. O boletim epidemiológico ainda contabiliza 29 óbitos, que ocorreram em datas diferentes. O número total de mortes, desde o início da pandemia, é 8.777 o que representa uma letalidade de 1,88%.

Segundo a Sesab, são 468.003 casos confirmados desde que a pandemia começou. Desses, 446.908 já são considerados recuperados,12.318 encontram-se ativos.

A secretaria informou que 56,51% das mortes ocorreram no sexo masculino e 43,49% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,81% corresponderam a parda, seguidos por branca com 18,50%, preta com 14,78%, amarela com 0,67%, indígena com 0,13% e não há informação em 11,11% dos óbitos.

O percentual de casos com comorbidade foi de 71,46%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,39%).

O boletim completo está disponível no site da Secretaria de Saúde e também em uma plataforma disponibilizada pela Sesab.

China diz que vacinou 1 milhão de pessoas contra Covid-19 e não detectou reação adversa

Share Button
Foto: AP Photo/Ted S. Warren

Foto: AP Photo/Ted S. Warren

O oficial da Comissão Nacional de Saúde da China (NHC), que comanda o desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19 no país, Zheng Zhongwei, disse neste sábado (19) que o país já vacinou mais de 1 milhão de pessoas com doses de emergência e que “nenhuma reação adversa séria” foi detectada, conforme informações do portal G1. “Para as vacinas em que estamos avançando muito rapidamente, o número de casos necessários para o estágio intermediário dos testes clínicos de fase 3 já foi obtido”, disse Zheng. Os dados das aplicações, feitas em grupos de alto risco, foram encaminhados ao órgão regulador local para análise. Até fevereiro de 2021, a China planeja vacinar até 50 milhões de pessoas. A capital, Pequim, deverá distribuir cerca de 100 milhões de doses feitas pela Sinopharm e pela Sinovac, esta última também em testes e desenvolvimento no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. Uma vacina do laboratório CanSino Biologics Inc também já foi aprovada para uso emergencial na China, mas estará restrita aos militares.

Santaluz registra mais 11 curas e confirma 28 novos casos positivos de Covid

Share Button
Foto: Freepik

Foto: Freepik

Mais onze curas clínicas de pacientes diagnosticados com Covid-19 foram registradas nas últimas 24h em Santaluz, chegando ao total de 746 pessoas recuperadas, segundo boletim divulgado pela secretaria de Saúde da cidade. Trata-se de cinco homens e seis mulheres, com idade entre 33 e 98 anos. Foram confirmados vinte e oito casos da doença. Trata-se de treze pacientes do sexo masculino e quinze do sexo feminino, com idade entre 10 e 82 anos, residentes no centro da cidade (16), nos bairros Jardim Luzense (3), Jorge Vilas Boas (3), Mãe Rufina (2), São Pedro (2), Castro Alves (1) e no povoado Rio do Peixe (1). Com a atualização, o município passa a contabilizar 871 diagnósticos positivos de Covid-19 desde o começo da pandemia. A taxa de cura é de 85,64%. Há 112 casos ativos da doença na cidade e 110 suspeitas em investigação.

Notícias de Santaluz



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia