WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio


Anuncie aqui



Max Santa Luzia

Laboratório Checap

Império Store

Drogaria Santana

Governo da Bahia planeja reabrir Hospital de Campanha da Arena Fonte Nova até esse final da semana

Share Button

Foto: Fernando Vivas/GOVBA

Foi publicado, no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (23), o edital para contratação de uma organização social que fará a gestão do Hospital de Campanha Arena Fonte Nova. A expectativa é que os leitos sejam abertos até o final da semana. O edital contempla 200 leitos, sendo 100 de Terapia Intensiva (UTI) e 100 clínicos, que serão abertos progressivamente. De imediato estarão disponíveis 50 leitos de UTI e 30 clínicos. “Neste momento é preciso reconhecer que há uma dificuldade na mobilização de profissionais intensivistas, que são especializados no atendimento e tratamento de pacientes graves. Além do número reduzido, muitos já atuam em outras unidades e não tem mais carga horária disponível ou estão exaustos em virtude dos 11 meses de pandemia”, afirma a subsecretária da Saúde, Tereza Paim. Na segunda-feira (22), a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) registrou, pelo quarto dia consecutivo, o maior número de pacientes internados em UTIs Covid-19 desde o início da pandemia na Bahia. São 912 pacientes adultos e pediátricos em estado grave ocupando leitos nas diversas regiões. O boletim epidemiológico divulgado na segunda também registrou 63 novas mortes por complicações da doença.

Notícias de Santaluz

Primeira pessoa vacinada na Bahia pega Covid-19 antes de tomar a 2ª dose

Share Button

Enfermeira foi a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 na Bahia | Foto: Itana Alencar/G1 Bahia

A enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, de 53 anos, primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 na Bahia, contraiu a doença antes de tomar a segunda dose do imunizante. Nesta terça-feira (23), ela está internada no Instituto Couto Maia, em Salvador, e tem quadro clínico considerado estável. “O que aconteceu com Angélica é que ela pegou a doença após a primeira dose. Ela ia tomar a segunda dose no dia 16 e, entre 12 e 13, começou a sentir um mal estar. Ela está bem, está usando pouco oxigênio, mas quando se movimenta fica um pouquinho desconfortável, por isso ela está sendo mantida ainda no hospital”, explicou ao G1 a médica infectologista Ceuci Nunes, que é diretora geral do Couto Maia, unidade referência em tratamento de doenças infectocontagiosas no Brasil. O imunizante tomado por Maria Angélica foi CoronaVac, desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac e que é fabricado no Brasil pelo Instituto Butantan. Essa vacina tem eficácia geral de 50,38%, o que significa que o risco de pegar Covid-19 foi reduzido em 50%. Segundo a publicação, a médica explicou ainda que, para a vacinação atingir a eficácia máxima, é preciso que a pessoa tome as duas doses e respeite a ‘janela imunológica’, que é o período que o organismo leva para produzir os anticorpos do imunizante. “A garantia mesmo da proteção maior é após 20 dias da segunda dose. Então é importantíssimo que todas as pessoas tomem as duas doses (…) É importante que, mesmo as pessoas vacinadas, mantenham as medidas de proteção, de distanciamento e uso de máscara, até que a gente tenha 60 a 70% da população vacinada”.

Funcionários da Ford voltam ao trabalho na fábrica de Camaçari

Share Button

Por G1 BA

Foto: Shutterstock

Cerca de 700 funcionários da Ford retornam aos postos de trabalho, em Camaçari, na região metropolitana de Salvador, nesta terça-feira (23). A retomada será, inicialmente, por 90 dias e acontece depois de negociações entre o sindicato da categoria e a empresa. Uma pequena parte voltou na segunda-feira (22). Esse grupo abrange funcionários da montadora e prestadores de serviço. Outros 327 trabalhadores retornarão no próximo mês, 189 em abril e 31 funcionários serão convocados em maio. “A negociação foi uma trégua de 90 dias, que foi dada para termos tempo para negociar. Existem alguns pontos que estão sendo colocados na negociação. Somente o acordo coletivo de quatro anos de estabilidade que nós temos. Existe também uma liminar de um inquérito feito pelo Ministério Público, que também foi emitida pela Justiça do Trabalho, que também dá algumas prerrogativas de garantia e segurança aos trabalhadores”, explicou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Júlio Bonfim. A empresa garantiu que vai pagar o salário dos trabalhadores que serão chamados para o expediente, assim como os profissionais que ficarem fora da convocação. Segundo Júlio, essa é uma decisão que foi determinada pela liminar judicial. “A liminar já garante essa obrigatoriedade por parte da empresa. A empresa até o momento está cumprindo. Só que existe outro problema: existem cinco empresas satélites aqui da região que já desligaram todos os seus trabalhadores. Nós estamos tendo problemas com esses trabalhadores, para que também a Ford assuma a responsabilidade, a partir do momento em que foi ela quem encerrou as atividades de trabalho, para que também esses trabalhadores que foram desligados possam entrar nessa discussão de indenização”.

Vacina da Pfizer contra Covid-19 é a 1ª a obter registro definitivo no Brasil

Share Button

Por G1

Foto: Freepik

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu, nesta terça-feira (23), o registro definitivo à vacina da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19. O registro definitivo autoriza a importação da vacina para o Brasil. A vacina é a primeira a obter o registro sanitário definitivo no país, mas ela ainda não está disponível em solo brasileiro. O G1 disse que questionou o Ministério da Saúde sobre uma previsão de compra da vacina, mas, até a última atualização desta reportagem, não havia recebido resposta. As duas vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil são a de Oxford e a CoronaVac, mas ambas têm autorização de uso emergencial, e não o registro definitivo. A vacina da Pfizer foi uma das quatro testadas no Brasil. No início do ano, a farmacêutica disse ter oferecido 70 milhões de doses da vacina ao governo brasileiro para entrega ainda em dezembro, mas a oferta foi recusada. O Ministério da Saúde disse que as doses propostas pela Pfizer causariam “frustração” aos brasileiros. O governo também afirmou que não comprou a vacina devido a uma cláusula no contrato segundo a qual a Pfizer não se responsabiliza por efeitos adversos graves do imunizante. No domingo (21), a pasta afirmou em nota que esperava até a próxima sexta-feira (26) uma orientação do Palácio do Planalto sobre como solucionar o impasse nas negociações das vacinas da Pfizer e da Johnson – que também pediu isenção de responsabilidade por eventuais efeitos adversos graves.

Santaluz registra mais 2 óbitos e 20 novos casos positivos de Covid

Share Button

Foto: Reprodução

Santaluz registrou mais dois óbitos por complicações da Covid e 20 novos casos da doença, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde na noite desta segunda-feira (22). As vítimas fatais são duas mulheres, de 48 e 91 anos. Com a atualização, a cidade passa a contabilizar 1.964 pessoas infectadas e 28 óbitos desde o começo da pandemia. Segundo o boletim, também foram registradas 30 novas curas clínicas, chegando ao total de 1.722 pessoas recuperadas. Há ainda 214 pacientes com o vírus ativo e 119 suspeitas de infecção sendo investigadas no município.

Notícias de Santaluz

Prefeitura de Santaluz volta atrás três dias depois e resolve proibir venda de bebidas alcoólicas e fechar academias, clubes e quadras

Share Button

Foto: Notícias de Santaluz

Três dias após relaxar medidas de combate ao coronavírus (lembrar), a Prefeitura de Santaluz voltou atrás e suspendeu nesta segunda-feira (22) a determinação que possibilitava o funcionamento de bares de segunda a sexta, das 5h às 18h, e aos sábados entre 5h e 12h. O prefeito Arismário Barbosa Júnior assinou um novo decreto estabelecendo medidas mais rigorosas, entre elas a proibição da venda de bebidas alcóolicas em qualquer estabelecimento comercial da cidade, na modalidade presencial ou em sistema de delivery. Outra medida que o prefeito suspendeu foi a que permitia o funcionamento de academias, quadras, ginásios, centros desportivos e clubes sociais. O gestor também voltou atrás do aumento da lotação máxima permitida em igrejas e templos da cidade. Com isso, o limite de público voltou a ser de até 50 pessoas. Alinhado ao governo estadual, o município também determinou a ampliação do toque de recolher, que passa a valer entre 20h e 5h, a partir desta segunda-feira.

Clique aqui e confira a íntegra do novo decreto

Notícias de Santaluz

Justiça do Trabalho mantém liminar que proíbe Ford de demitir funcionários

Share Button

Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

A Justiça do Trabalho confirmou nesta segunda-feira (22) a liminar que proibiu a montadora Ford de realizar demissão coletiva dos trabalhadores da fábrica de Taubaté (SP). A empresa também continua impedida de se desfazer de bens e maquinários até a conclusão das negociações coletivas.

Segundo a Agência Brasil, a decisão foi motivada por um recurso da empresa, apresentado após a decisão proferida no dia 5 de fevereiro, que também impediu a dispensa em massa dos empregados. A liminar foi assinada nesta manhã pela desembargadora Maria da Graça Bonança Barbosa, do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas.

Na mesma decisão, a desembargadora deferiu parcialmente pedido da montadora para desobrigar a empresa de fornecer em 30 dias um cronograma de negociação coletiva e para garantir que não há mais necessidade da participação do Ministério Público do Trabalho (MPT) nas negociações entre a Ford e o sindicato da categoria.

A Ford anunciou em janeiro o fechamento de todas as suas fábricas no Brasil, após mais de 100 anos montando veículos no país. Em nota à época do anúncio, a empresa citou, entre outros fatores, os impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus (covid-19), que “amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”.

Bolsonaro volta a criticar política da Petrobras: “O petróleo é nosso ou é de um pequeno grupo no Brasil?”

Share Button

Por Valor Econômico

Foto: Alan Santos/PR

Pouco antes da abertura da bolsa de valores nesta segunda-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro voltou à carga contra a sistemática de definição de preços da Petrobras. Afirmou que a atual política atende aos interesses de “alguns grupos do Brasil”, criticou o trabalho do presidente da estatal, Roberto Castello Branco, e disse que a Lei de Reponsabilidade Fiscal prevê que, em estado de calamidade, a companhia deve “olhar para outros objetivos”. Em conversa com apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente provocou: “O petróleo é nosso? Ou é de um pequeno grupo no Brasil?” Na última sexta, Bolsonaro anunciou que Castello Branco será substituído pelo general Joaquim Silva e Luna, atual presidente da Itaipu Binacional. Pressionado por caminhoneiros pelos recentes reajustes no preço do diesel, Bolsonaro defende que a composição dos preços e reajuste precisa de transparência e previsibilidade. Na primeira hora de pregão, os papéis da empresa perdiam 20%. “É sinal que alguns do mercado financeiro estão muito felizes com a política que só tem um viés na Petrobras, atender os interesses de alguns grupos do Brasil”, disse o presidente. Bolsonaro ainda reclamou que ninguém no governo estava tomando providências para reduzir o preço ao consumidor. “No fundo, ninguém fazia nada, eu tenho que descobrir sozinho isso. A gente vai mudar, mudanças teremos no governo sempre que se fizer necessário”, assegurou. “Não tenho preocupação nenhuma a não ser atender ao interesse público”, completou.

Internado com Covid, secretário de Saúde da Bahia faz apelo à população; governador ameaça “fechar absolutamente tudo”

Share Button

Foto: Reprodução/TV Bahia

Ao avaliar a situação da pandemia de coronavírus na Bahia e falar sobre a ampliação do horário do toque de recolher em 381 cidades do estado, devido ao aumento da ocupação de leitos UTIs Covid-19, o governador Rui Costa afirmou na manhã desta segunda-feira que se a população não ajudar na prevenção ao coronavírus, ele vai tomar medidas mais drásticas, como determinar o fechamento do comércio.

“Eu peço a contribuição dos donos de empreendimentos, donos de restaurantes, bares, shoppings. Se essa medida não surtir efeito, a medida terá que ser mais drástica… ou seja, fechar absolutamente tudo. Então, para evitarmos o pior, inclusive para os negócios, é importante que todos colaborem”, disse Rui em entrevista ao Jornal da Manhã.

Na sexta-feira (19), o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, disse em entrevista ao Jornal A Tarde que o estado atravessa o pior momento da pandemia no país. E segundo ele, porque a população não tem colaborado, principalmente os mais jovens.

“Os jovens que perderam o medo. É possível que precisemos avançar para fechar comércio durante o dia”, alertou o secretário, que está internado com Covid-19.

Diagnosticado com Covid-19, secretário de Saúde da Bahia está internado desde a última sexta-feira | Foto: Reprodução/TV Bahia

Diagnosticado com a doença há uma semana, Vilas-Boas fez na manhã desta segunda-feira, em vídeo divulgado nas redes sociais, um apelo pedindo a população para evitar aglomerações a fim de que a taxa de transmissão do coronavírus seja reduzida.

“Tenho permanecido internado, fazendo uso de oxigênio, tomando medicações. Não tem sido uma experiência fácil, essa é uma doença traiçoeira. Ninguém sabe quem vai melhorar ou piorar. Ter a garantia de uma vaga em um hospital, não é garantia de que você sobreviverá”, afirmou o secretário estadual da Saúde.

“Precisamos lutar para que a taxa de transmissão diminua. Precisamos evitar que as pessoas continuem se contagiando, pois não haverá vaga para todo mundo. Os hospitais não vão dar conta”, ressaltou.

“Lhe faço um apelo. Lute para que não exista aglomerações em seu bairro. Denuncie à polícia. Combata quem está fazendo aglomerações indevidas”, completa Vilas-Boas.

Notícias de Santaluz

Doria afirma que São Paulo está socorrendo o Brasil: ‘Onde estão as outras vacinas?’

Share Button

Foto: Divulgação/Governo de SP

Responsável por viabilizar o acordo entre o laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirma que a cada 10 vacinadas contra a Covid-19 no país, nove receberam a Coronavac. Ele defende que isso se deve ao esforço de seu governo e do instituto, uma vez que o governo federal trabalhou contra o imunizante.

“Todos acompanharam o esforço do governo federal contra a vacina, com uma série de impropérios. (…) Hoje nós temos aqui em solo brasileiro 27.100.000 doses do Instituto Butantan, amanhã estamos entregando mais 3.400.000 doses ao ministério. (…) Aí eu pergunto: onde estão as outras vacinas? Não pode ficar apenas o Butantan com a responsabilidade de prover vacinas para o país, o que fazemos com alegria”, apontou o governador. A declaração foi dada em entrevista concedida, por telefone, ao programa Isso é Bahia, parceria da rádio A Tarde FM com o Bahia Notícias.

Doria lembrou que a capacidade de produção prometida pelo instituto paulista e pelo laboratório chinês foi entregar 100 milhões de doses ao Brasil – 46 milhões até abril e mais 54 milhões até agosto. Sendo assim, de acordo com o governador de São Paulo, o cronograma está sendo cumprido.

O governo federal, no entanto, acusou o Butantan de atrasar a remessa que deveria ser entregue em fevereiro. Na semana passada, o Ministério da Saúde divulgou um cronograma de vacinação, com a previsão de receber 9,3 milhões de doses da Coronavac neste mês, porém, horas antes, o Butantan indicou que entregaria 2,6 milhões de doses. Em nota de resposta, o instituto paulista pontuou que foi afetado com o atraso na chegada da matéria-prima, culpando o governo brasileiro e sua relação desgastada com a China por isso.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia